O poeta suja as mãos Com letras, rimas e estrofes Cada uma delas, tem um cheiro próprio Tem uma textura original   O poeta não suja as mãos Com amor, compaixão, ira Cada uma delas tem uma virtude própria Tem um gosto original   O poeta é um sublime simplório Descansa, descalço, à sombra da […]

Read More →

Deus é improvável. Seus planos são improváveis. Suas ações são improváveis. É da improbabilidade, das mínimas porcentagens de chances, que ele tira suas maiores surpresas. Da costela de um homem, surge sua companheira. De um dilúvio, uma nova chance. A um desconhecido em terras longínquas, uma voz e um mandamento: “sai da tua parentela”; inicia-se […]

Read More →