Extrai toda a força das palavras
Para que o grito não seja em vão

Faz do silêncio uma arma da sabedoria
E não um escudo da covardia

Pede para entender o que está nas entrelinhas
Viver é saber ler as entrelinhas

Mergulha nas profundezas do mistério
O que transcende nos faz ir além de nós mesmos

Faz da teoria uma ponte para o caminho
E não um refúgio para o preguiçoso

Faz da prática um gesto de coragem
E não um hábito do insensato

E, por fim, entregue-se totalmente
Não aos ídolos do nosso tempo
Mas ao Deus que é Fonte de Todo Bem.

Não são as certezas, nem as dúvidas,
Nem a felicidade, muito menos o sofrimento.
É a confiança. A mais pura e simples confiança.