Já não aguentava mais aquela velha maneira de viver, uma vida cheia de opiniões, mas com poucas convicções. Eu vivia uma ignorância disfarçada de intelectualidade. Uma vida que abandonou a Deus e que, por isso, foi endurecendo o coração e perdendo a sensibilidade para o que é digno e puro. Viver assim é ser refém dos próprios desejos. Eles nos alimentam com corrupção, mas não satisfazem nosso vazio.

Mas o que aprendi é completamente novo e verdadeiro. Deus veio ao mundo para me oferecer uma nova maneira de viver; de fato, o novo jeito de ser humano. Um novo rumo, uma nova mente, um novo padrão de existência. É como se, de repente, eu recebesse roupas novas, mais bonitas, mais dignas. Sem duvidar, logo joguei fora minhas roupas velhas e sujas, e vesti as novas e limpas. Não sei exatamente como isso aconteceu, mas tenho em meu coração uma certeza de que agora estou no caminho da justiça e da santidade provenientes da verdade. Me sinto totalmente renovado.

Mesmo que eu me veja uma outra pessoa por dentro, sei que ainda tenho um grande desafio: ser uma nova pessoa por fora, ou seja, na maneira como eu me relaciono com os outros. Se antes meu método preferido era a mentira, agora sei que não posso mais mentir, pois, de alguma forma, o meu próximo faz parte de mim. A mesma certeza se refere a outros hábitos que pareciam normais, inocentes, sem problemas. Já não parecem inofensivos. Sinto-me bastante incomodado quando deixo a raiva tomar conta de mim, quando quero passar a perna nos outros e até mesmo quando em meu trabalho sou movido pela ganância. Se antes eu falava o que viesse em minha mente, agora penso duas vezes antes de expressar as bobagens que penso.

Não quero entristecer o Deus que – tenho certeza – agora habita em mim. Nasceu uma relação de cumplicidade entre nós que, misteriosamente, me impede de seguir em frente com os meus erros. No lugar de amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, o que brota em mim é uma imensa vontade de fazer o bem, de amar e perdoar os outros, assim como sinto o perdão de Deus como nunca senti.

Hoje sou um novo homem.

(Paráfrase de Efésios 4.17-32)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>