Por Jeverton “Magrão” Ledo

 

Ouça o som suave que anuncia a chegada do tempo de celebrarmos o amor, a vida e a esperança.

Chegada a hora de olhar para a simplicidade do nascimento do menino Deus.

No silêncio da noite, envolto na missão de transformar o mundo, Ele rompe a frieza, e proclama que é chegado um novo tempo.

O mundo se perturba, uma revolução se tornará visível, a vida encontrará sentido. Nas palavras daquele homem que caminha o caminho da humildade, da obediência e da negação de si mesmo.

Negar esse que confronta, que quebra o ciclo do poder, da arrogância e da superioridade.

A humanidade será conduzida a repensar a própria existência, valores terão que ser reavaliados, um auto exame exigirá o olhar para dentro de si.

Abrirá a porta que revela o quanto o mundo, vem se distanciando ao longo dos séculos da sua essência.

Essência que se vê na criança, que é a verdade desafiadora.

Acolherá você em seu coração o desafio de se desconectar durante o tempo que antecede o nascimento do Cristo, de tudo quanto tem tomado o lugar do que realmente importa em sua caminhada.

É tempo de reflexão, de renovo, de restaurar.  Tempo quem sabe  de recomeçar, de se reencontrar.

Recomeços nem sempre são fáceis, e exigem força para vencer os obstáculos, e acima de tudo para enfrentar o seu maior inimigo.

Você sabe que estou falando de você mesmo.

Que a celebração do nascimento, encontre em sua vida o verdadeiro significado.

Quebre a frieza de corações, reafirme convicções, e alcance outros corações.

Corações que estão pulsando na vida de tantos outros que vivem sem esperança , ou que,  já decretaram o próprio fim.

A esperança segue viva,  a criança venceu a fúria do mundo, o madeiro está vazio…

 

Jeverton “Magrão” Ledo um apaixonado por arte e música. Segue servindo como conselheiro e reside com a família na Holanda.


Leia mais:
» A nossa Esperança
» Contemos a esperança da história do Natal
» A expectativa e a realidade do Natal

  1. Excelente reflexão tão diferente do que vemos por aí nossa reflexão tem que ser realmente a reconexão com o criador nesse mundo cada vez mais supérfluo e banal

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.