O Meu Lugar no Mundo
Por Juliana Lima

 

Nunca tinha me imaginado violinista e professora quando criança! Eu queria mesmo era ser veterinária. Muitos amigos demonstravam uma paixão pelo violino antes de aprender. Comigo foi diferente, comecei a estudar aos 9 anos por um curto período. Minha mãe ficou muito empolgada e fez um enorme esforço para comprar um violino que eu tenho até hoje. Eu gostava daquelas primeiras aulas de musicalização e de instrumento, ali foram lançadas as primeiras sementes da música cultivadas pelo canto e alegria nas aulas. Mas eu tive que parar com as aulas e perdi o contato com o violino, ele ficou esquecido. Depois de algum tempo, minha mãe encontrou a minha primeira professora de violino; ela começou a me dar aulas particulares de graça, porém eu já não tinha a mesma motivação de antes. Mesmo assim, minha primeira professora era paciente, doce e generosa comigo. Depois de um tempo estudando, outro professor perguntou se eu tinha interesse em entrar numa orquestra. Aceitei o convite. Assim, entrei em uma orquestra jovem, onde conheci muitas pessoas, fiz viagens, amigos e tive muitas aventuras. A partir dessas experiências minha motivação em estudar violino aumentou e então resolvi fazer faculdade de música. É claro que minha mãe não queria, mas depois ela me apoiou.

O violino entrou na minha vida e vejo como Deus foi dirigindo a minha história até aqui. Deus é bom! Lembro que não passei na primeira prova do vestibular para música e até questionei se isso era a vontade de Deus para minha vida. Novamente me preparei, fiz a prova e passei. Na universidade tive muitas experiências boas e ruins, além de oportunidades de testemunhar de Cristo. Lembro que pude convidar meus colegas da faculdade para a igreja. Eles aceitaram o convite e puderam ouvir o genuíno evangelho. Eles não foram convertidos, mas eu sei que a divina semente foi plantada nos seus corações. Depois da faculdade, comecei a dar aulas de violino e surgiram algumas inquietações que me impulsionaram a fazer o mestrado no campo da Educação Musical. Assim, fui morar em uma república de meninas em outra cidade, e eu só podia pedir a Deus que estivesse à frente de todas as coisas.

Durante o mestrado aprimorei meus conhecimentos sobre o ensino e a aprendizagem da música. Comecei a ensinar violino para crianças pequenas, e isso foi um desafio novo para mim. Nesse ínterim, eu também aprendi no dia a dia sobre a soberania e o cuidado de Deus comigo por meio de pessoas que conheci e da igreja onde comecei a congregar. Terminei o mestrado e continuei a morar na cidade, pois fui convidada a fazer parte de uma escola de música.

Salmos 77.11 diz: “Recordo os feitos do Senhor, pois me lembro das tuas maravilhas da antiguidade”. Assim, quando olho para trás e recordo toda a minha história com o violino vejo a bondade, o cuidado e o sustento de Deus comigo. Por meio do violino pude aprender sobre culturas, conhecer pessoas, fazer viagens, mas principalmente eu pude, de alguma maneira, testificar sobre quem Deus é, ter a oportunidade de entregar um devocional e falar de Cristo. Acredito que esta seja a minha vocação: ser uma professora de violino, quer tocando ou ensinando para alguém. Acredito que assim eu posso ser um bom perfume de Cristo para as pessoas ao meu redor e de alguma maneira ser sal e luz na vida delas e assim glorificar a Deus por meio do violino com humildade e mansidão. Que o Senhor me capacite a cumprir isso.

 

  • Juliana Lima Verde, 31 anos. É violinista e professora de violino, graduada pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) com habilitação em violino. Mestra em música – educação musical pela Universidade de Brasília (UnB). É membro da Igreja Presbiteriana Alvorada.

 

Leia mais: 
» Meu “eis-me aqui” aguarda o chamar de Deus
» Pronto para a aventura

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.