Você se lembra de Pedro andando sobre as águas do mar da Galileia, com os olhos fitos em Jesus? Por que, de repente, ele começou a afundar?

A resposta é muito simples. Pedro começou a submergir quando “sentiu o vento” ou quando “reparou na força do vento”. Nesse momento, ele fixou mais o vento do que Jesus, mais o problema do que a solução, mais as circunstâncias do que o Circunstante. O vento não começou a soprar depois que o apóstolo tirou os pés do barco e os pôs na água. O vento já vinha soprando forte há algum tempo e já havia formado muitas ondas que batiam com força no barco. O vento não era novidade. Bem como a escuridão da noite, pois ainda faltavam umas duas horas para o sol aparecer no horizonte. A praia de onde o barco saiu e a praia para onde o barco ia estavam equidistantes. O que provocou o afundamento foi a mudança de Pedro, a mudança do olhar, a mudança de atitude. Enfim, a quebra da fé (Mt 14.22-33).

Aproveite esta experiência de Pedro em benefício próprio. Se você estiver rodeado de problemas, não tire os olhos de Jesus. Se o fizer, você verá só o perigo, perderá o ponto de apoio, ficará sozinho no meio de suas dificuldades e começará a afundar. Este é um exercício de sobrevivência mais espiritual do que mental, pois exige fé, muita e prolongada fé. Deus o abençoe!

Publicado originalmente na edição 250, de 1998, de Ultimato.

Leia mais: 
» Aulas práticas de confiança em Deus 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.