Todo surfista sabe que para pegar boas ondas é preciso vencer a arrebentação. Em algumas circunstâncias, a arrebentação pode dificultar muito um dia de surfe. Na vida, também existem as tais “arrebentações” e todos nós precisamos enfrentá-las.

Durante a infância ouvimos tudo o que os adultos nos ensinam. Acreditamos em tudo o que nos dizem. Achamos que eles sabem tudo e que são perfeitos. Nesse período todos dizem o que podemos e não podemos fazer e como devemos nos comportar. Na adolescência é quando nos deparamos com as primeiras ondas. Mas será que elas param de “arrebentar” à medida que vamos amadurecendo? Na transição para a juventude tudo vai tomando outra forma, mas as ondas continuam batendo. Ainda não é propriamente a vida adulta, mas também já não somos mais crianças. Tudo é novo. Nesta fase podemos e escolhemos algumas coisas por conta própria e, além disso, questionamos àqueles que nos ensinam. Não acreditamos mais em tudo o que nos dizem. Ao mesmo tempo, somos pressionados a tomar nossas próprias decisões. As respostas prontas sumiram, e agora ouvimos: “a decisão é sua”. Durante sua jornada muitas ondas se levantarão e devem ser vencidas, vindas uma atrás da outra. Para superar e passar de fase, estar com a auto-estima em dia é essencial. A auto-estima refere-se à capacidade de acreditar em nossas habilidades e potencialidades, ou seja, reconhecer a si mesmo como alguém de valor. Se a pessoa tem uma auto-estima saudável, ela também dispõe de recursos internos para vencer dificuldades.

Dos julgamentos que enfrentamos na vida, nenhum é mais importante do que o juízo que fazemos de nós mesmos. Diversos conflitos psicológicos estão associados à baixa auto-estima e eles podem se apresentar de certas maneiras: sentimento de se achar desinteressante e culpado por qualquer problema, sensação de não ser uma pessoa bem vinda e agradável, ansiedade demasiada, medo, depressão.

Nunca se esqueça: são apenas fases. O surfista não para diante da arrebentação. Ele continua sobre a prancha, pois sabe que lá na frente boas ondas o esperam.

“Mas, sejam fortes e não desanimem, pois o trabalho de vocês será recompensado” 2Cr 15.7

  1. É isso mesmo!
    E nossa auto-estima pode ser mudada a partir do que pensamos a nosso respeito. Para o cristão, existe uma coisa linda sobre isso: saber que o meu valor real é aquele que Deus declara sobre mim. Sou amado, aceito, perdoado e restaurado, nEle!
    E a nossa parte neste processo é aprender a trazer a nossa mente em conformidade à mente de Cristo. É aí que está a nossa cura. Neste processo é que nos tornamos de fato emocional e psiquicamente novas criaturas, libertas do passado ou das ondas que continuamente possam cair sobre nós. Sabendo que Ele nos fortalece com sua Graça e nos acolhe e ensina com muito amor!
    Mudar o modo como pensamos a nosso respeito faz toda diferença na maneira de encarar as ondas da arrebentação.
    Pois assim como o homem pensa em seu coração (sua mente), assim ele é (Pv 23:7).
    Rm 12:2 diz “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.
    Abraço!

  2. Excelente texto! Como faz toda diferença o juízo que fazemos de nós mesmos e a maneira como enxergamos algumas fases muitas vezes não “recompensadoras”de nossa vida. Vale a pena refletir nessa mensagem e analisar como anda a nossa visão sobre nós mesmos.

  3. Mto interessante pensarmos que até o surfista precisa enfrentar dificuldades(arrebentação), para depois sim pegar a tão sonhada onda. Para o surfista temos: Vontade(ir), persistencia ( continuar) , objetivos(surfar), lutas(vencer a arrebentação), desafios(ventos, maré e outros ), obstaculos( temperatura da agua, inércia, equilibrio ) desafios ( o todo ), as vitórias ( surfar as ondas ), com isso, posso traçar um paralelo sim com a vida cristã…Pena que mtas vezes o medo da arrebentação(lutas), inibem alcançarmos ondas cada vez maiores e melhores. Perserverança mesmo diante das dificuldades, boa lição!

  4. Interessante à forma como abordou sobre a vida e o surf, pois ambos são imprevisíveis, estando à mercê da natureza, mas a vida possui o agravante de sempre navegar em mares de ilusões, de infelicidades, de tristezas, mas também, de amor, de alegria, de felicidade e sobretudo de aprendizado.
    Viver é fazer escolhas a cada momento e são elas que farão com que vençamos as arrebentações ou soçobremos nos mares de ilusões criados em nossas escolhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>