Samara Monteiro de Andrade

Somos seres contadores de histórias. Nossas mentes trabalham incansavelmente na construção de narrativas que possam trazer coesão e sentido aos eventos que vivenciamos como indivíduos e como sociedade. Conhecer os quatro pilares da teologia (criação, queda, redenção e consumação) me ajudou a compreender não só a narrativa bíblica, mas também a história que Deus está contando através da minha vida.

 

Lembrar da Criação me traz sentido

Não preciso encontrar sentido para a vida em mim, no trabalho, nas outras pessoas ou mesmo nesse mundo. Todas as coisas só existem por causa dEle, por isso até mesmo a minha história só faz sentido se for sobre Ele. Aquele que era desde o princípio, que criou e sustenta todas as coisas é o mesmo que criou, salvou e guia a minha vida. Posso, então, desfrutar de toda a criação sem a pretensão de possuir coisa alguma, pois tudo – inclusive eu mesma – pertence a Ele.

 

Lembrar da Queda me traz humildade

O suor, as ervas daninhas e as dores aumentadas fazem parte da vida fora do Éden. Se tento criar expectativas irreais, imaginando que essas consequências não vão me atingir, me torno ainda mais fraca diante da próxima dificuldade, que inevitavelmente virá. Ao aceitar a realidade, sem ilusão e sem escapismo, me recolho à posição de criatura, infinitamente dependente do Criador. Reconheço, então, que o trabalho das minhas mãos nunca será suficiente para corrigir aquilo que está errado, seja no mundo, seja dentro de mim.

 

Lembrar da Redenção me traz confiança

Cristo veio a esse mundo para redimir todas as coisas. Nas mazelas, dores e frustrações, Ele trabalha pra que eu seja cada vez mais parecida com Ele. O seu Espírito vivendo em mim usa todos os momentos para me santificar. Posso lhe entregar cada fraqueza, deslize, desânimo ou fracasso e pedir que Ele me torne mais paciente, humilde, constante e frutífera. Enquanto redime o cosmos, Deus está redimindo minha vida – não de forma genérica e abstrata, mas redimindo cada momento.

 

Lembrar da Consumação me traz esperança

Encontro consolo em saber que as lágrimas estão sendo contadas, e me alegro pela lembrança de que o próprio Deus enxugará cada uma delas. As pequenas e grandes obras estão sendo registradas no livro, por isso o trabalho feito nEle – por mais pesado e desafiador que seja – nunca é em vão. Posso descansar na certeza de que o Grande Dia chegará. Nesse dia, O verei face a face e poderei contemplar a boa obra que Ele começou em mim e que estará, finalmente, completa.

 

  • Samara Monteiro de Andrade, 31 anos, farmacêutica e servidora pública. Casada com Davi e mãe do Moisés e da Irene.

Saiba mais:

» Da incapacidade à redenção
» A redenção nunca tarda, nem falha

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.