Por Cássia de Oliveira

Neste sábado (27), centenas de jovens de todo o Brasil se encontraram de maneira online no Congresso de Jovens Cristãos Universitários (CJCU) para refletir e trocar experiências sobre a atuação da juventude cristã no ambiente acadêmico.

Neste ano, devido à pandemia do Covid-19 o evento foi online, e ofereceu palestras com especialistas na temática para capacitar jovens universitários a levarem o evangelho no ambiente desafiador da academia. O congresso contou também com um momento inicial de devocional com o pastor Welligton Neto, presidente da Juventude AD Brasil e professor na Faculdade de Direito da USP, e com a banda Amiantus e o Grupo Belemitas para o louvor.

Os palestrantes foram o pastor Pedro Vercelino, também professor no Seminário Palavra da Vida, que discorreu sobre “Vida cristã universitária: hábitos espirituais para a universidade” e pastor Rodrigo Urcino, filósofo e especialista em Apologética Cristã, ministrando sobre “O jovem cristão universitário e seu posicionamento nos debates políticos, econômicos e sociais na atualidade”.

O pastor Pedro abordou a dificuldade que a maioria dos estudantes universitários encontra de manter as disciplinas espirituais na sua rotina corrida e repleta de compromissos. Ele chamou a atenção para a importância de priorizar a comunhão com Deus afim do jovem não naufragar na fé durante o período acadêmico: “Torne Jesus o dono da sua agenda. Não espere ter tempo, crie tempo. Desenvolva músculos espirituais através das disciplinas espirituais para manter a fé na universidade”. Vercelino terminou sua participação lembrando a célebre frase de Jack Writzen: “No Bible, no breakfast” (“Sem Bíblia, sem café da manhã”, em tradução livre).

Já o pastor Rodrigo Urcino esclareceu que a dualidade excludente entre fé e razão/religião e ciência é um mito, já que foi Deus que criou ambas, e que desde seus primórdios a universidade foi um lugar de pensar Deus: “A universidade nasceu com o cristianismo, mas ao longo do tempo se tornou um reduto dos incrédulos, pseudointelectuais e marxistas”.

Influenciar a cultura, oferecer argumentos aos incrédulos, fortalecer os que já creem e manifestar Cristo ao mundo através do conhecimento da verdade são os papéis da juventude cristã universitária hoje, segundo o teólogo. Urcino também defendeu que jovens devem se levantar como pensadores de uma apologética cristã em sua geração. Para o pastor, “se a igreja perder a batalha intelectual nessa geração, a evangelização será muito mais difícil na próxima”.

Sobre o CJCU

O Congresso de Jovens Cristãos Universitários surgiu em 2018, no coração de Samara Freitas de 23 anos, estudante de Medicina da Faculdade de Medicina de Taubaté. A futura médica sentiu a necessidade de compartilhar com outros estudantes cristãos sua vivência no campus e o desafio de evangelizar nesse ambiente. “Durante uma tarde, estava estudando com uma amiga (Carolina Ribeiro de 21 anos, também estudante de Medicina) que também é cristã, e compartilhei com ela o que havia pensado, de fazer um evento que reunisse esses jovens. Ela prontamente topou a ideia e começamos a trabalhar no projeto”, conta Samara. Na mesma semana, Wellington Matheus Rodrigues de 20 anos, estudante de Engenharia Mecatrônica na Universidade Mackenzie, também entrou para equipe e começou o planejamento das redes sociais do CJCU par alcançar jovens de todo o país.

“Muitos querem falar de Jesus, mas não encontram estratégias ou outros jovens com o mesmo propósito para ajudá-los nessa caminhada”, explicou Samara. Assim surgiu o CJCU com o propósito de integrar jovens cristãos de diversas faculdades do Brasil que possuem o anseio de propagar Jesus em seus campi e capacitá-los para o evangelismo universitário.

Para Ana Laura Peres de 24 anos, estudante de Medicina na Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), que participa do Congresso desde 2018, o CJCU é mais do que um evento; é um ambiente de reflexão, aprendizado e encorajamento: “O Congresso me apresentou pessoas e me presenteou com amizades que fortalecem a minha fé e me ajudam na caminhada universitária. Aprendi que o compartilhar nos acrescenta, e muito!”. E finaliza: “E também, que não estamos sós: em algum lugar, em alguma sala de aula ou corredor de Instituição os alunos estão falando do amor de Deus”.

O CJCU de 2021 já tem data marcada. Será no mês de março, de forma presencial, na cidade de São Paulo.

  • Cássia de Oliveira, Jornalista pela UFRGS e repórter da AD Guaíba. Atua na área de comunicação cristã e como colunista. Noticiando boas novas.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.