Por Cássia de Oliveira

Caro jovem,

Sei que você já foi um jovem bastante piedoso com as coisas de Deus e que você abandonou a fé por decepções que teve com a igreja e com certos irmãos. E eu sinceramente te entendo. Vivemos tempos trabalhosos (2 Tm 3.1), nunca se viu tanta corrupção no mundo e também dentro da igreja, não é?

No lugar que deveria estar cheio de bons exemplos e boas obras, encontramos pessoas amantes de si mesmas, avarentas, presunçosas, soberbas, blasfemas, ingratas, profanas, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadoras, traidoras, orgulhosas, mais amigas dos deleites do que amigas de Deus. A Igreja é feita de pessoas e pessoas falham.

O problema começa quando aquele que cometeu o erro não o reconhece diante de Deus e dos homens e se torna um fardo para a congregação. Quando isso acontece, o conselho que o Apóstolo Paulo deu a Timóteo nos serve: “Destes afasta-te” (2 Tm 3.5b). E é esse mesmo conselho que te dou agora.

Mas eu sei que quando somos jovens, as coisas não são tão simples assim. A juventude é a fase em que somos altruístas; queremos consertar o que está errado, fazer o que é certo e assim tornar o mundo (nesse caso a igreja) um lugar melhor para todos. É por isso que é tão difícil para um jovem fiel como você ver o mau testemunho de um irmão, a hipocrisia de muitos que estão no púlpito, a falsidade de outros e a traição de alguns.

Quem, principalmente, cresceu no meio cristão, envolvido ativamente na obra de Deus, se desanima quando problemas acontecem na igreja. Vem aquela vontade de abandonar a fé e a comunhão. Questionamentos perturbadores surgem na mente e geralmente ficam sem respostas: “Como podem existir pessoas não cristãs melhores do que as que convivo na igreja? Meus amigos do mundo são mais fiéis do que meus amigos crentes! Da forma como as coisas estão andando, acho que estarei melhor no mundo do que na igreja.”.

Mas sabe? Essa história não é de hoje. Lembra de Elias deprimido e escondido na caverna? Elias, o grande profeta de Israel que desafiou os profetas de Baal, agora se encontrava cansado, desanimado, sem mais forças para continuar. Se sentia tão sozinho no meio de uma geração corrompida e pecaminosa, que posso imaginar o que pensava: “Acabou! Não tem mais jeito. Eu, que me mantive fiel a Deus, fui acusado de ser o perturbador de Israel pelos meus próprios irmãos.” Elias estava tão decepcionado, tão cansado com aquela situação que chegou a pedir a morte para o Senhor (1 Rs 19.4).

Mas, sabe qual foi a resposta de Deus ao profeta? “Levanta-te e come, porque mui comprido te será o caminho”. O Senhor disse a Elias que ele não estava sozinho naquele terrível cenário, ainda restaram 7 mil em Israel que não se dobraram diante de Baal. 7 mil e um remanescentes.

Entenda, querido jovem, que quando grandes lutas se levantam no meio da congregação, Deus sempre preserva seus remanescentes, seus rebentos de esperança. Quando coisas que Deus desaprova acontecem, ao invés de abandonar o amado salvador (que não tem nada a ver com os pecados de seus filhos), você pode aproveitar a oportunidade para se levantar como um exemplo.

Você pode me perguntar: “Mas eu posso servir de exemplo para os mais velhos?” É claro! Foi esse conselho que Paulo deu ao jovem Timóteo: “Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os que creem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza. […] Cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que ensina. Continue fazendo isso, pois assim você salvará tanto você mesmo como os que o escutam.” (1 Tm 4.12, 16).

A grande sacada aqui é não tirar os olhos de Jesus, ficar firme olhando para Ele, pare de olhar para as pessoas, elas são falhas e sempre vão te decepcionar. Olhe para Cristo, autor e consumador da tua fé, esse sim nunca vai falhar, sempre estará contigo, te ajudando a continuar fiel. Volte para a casa do Pai, Ele está tão ansioso pela tua volta! Ele que é a maior razão de você estar lá.

“Se olho para mim, me deprimo. Quando olho para os outros, me iludo. Quando olho para as minhas circunstâncias, me desencorajo, mas quando olho para Cristo estou completo.” – Steven Lawson

Com carinho,

Uma jovem não mais desanimada com a igreja.

  • Cássia de Oliveira, 25 anos. Formada em Jornalismo pela UFRGS, congrega na Assembleia de Deus em Guaíba (RS).
  1. Linda carta, Cássia. Nasci na igreja, e quando entrei em crise com a igreja, esse foi o conselho que me deram: “seja o exemplo, se não for você, quem vai ser?”. E persisto!
    Obrigada pelas palavras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>