Por Jeverton “Magrão” Ledo

Todas as vezes que vou colocar algo que diz respeito à minha saúde em meus artigos, tomo todo o cuidado para não despertar aquele sentimento de “coitado” naqueles que não me acompanharam de perto, um pensamento de “nossa, que difícil deve ser para ele” e por aí vai…

Ao longo de todos esses anos enfrentando o problema, vivenciei muitas e muitas diferentes fases. Confesso que sigo aprendendo como lidar com tudo, principalmente internamente, para que isso reflita de maneira saudável em minhas relações com as pessoas ao meu redor, velhos amigos, novos amigos, e com quem me conhece apenas pelos artigos.

Os desafios lançados como dados nesse tabuleiro vêm carregados de lições. Claro que se você me perguntar se sempre encarei tudo de maneira tranquila, como se nada tivesse acontecendo, ouvirá um enorme e sonoro “não, caro leitor”.

Já foram noites acordado com perguntas, tentando entender o porquê disso estar acontecendo comigo, por vezes sentindo indignação e frustração. Recebi muitas visitas nas fases em que as crises me deixavam paralisado, escutei muita coisa, e, infelizmente, no meio delas havia muita bobagem.

Aos poucos, fui entendendo que em tudo sempre há um algo a mais. Eu precisava buscar o real entendimento, afinal a vida seguiria correndo.

Por vezes a tristeza e a vontade de me isolar tinham que dar lugar ao “estar contente em toda e qualquer situação”. Seria isso apenas uma rápida sensação de bem-estar, uma falsa ilusão, uma sabotagem com meus reais sentimentos? Não. Eu precisava me deixar ser envolvido pelo contentamento.

O contentamento não respondeu todas as minhas perguntas, não dissipou todas as nuvens, mas abriu meus olhos e me fez enxergar a beleza do viver. Mostrou o real valor de cada pequeno detalhe, gesto, palavra e sentimento expressos naquilo que é deixado de lado em nossas vidas.

Diante das crises, as visitas tomaram um novo rumo, eu então me vi confortando pessoas, animando, lançando a boa semente da esperança.

Há muitos anos eu me posiciono de maneira bastante diferente em relação à minha enfermidade, e isso tem sido muito positivo para que eu siga firme, sonhando.

Esse texto aparentemente não traz nada de novo, afinal não se inventa a roda pela segunda vez. Mas permita olhar para sua caminhada, seus desafios, decepções, rebaixamentos, esquecimentos como se você fosse um velho armário enferrujado, está tomado pelo não entendimento do porquê?

Não se deixe esmorecer, encontre a real fonte do viver, e viva a vida com plenitude e com gratidão. Já encontrou a fonte? Então comece o quanto antes a ser grato, e permita que a transformação diária e contínua te torne um espalhador da boa semente.

  • Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e trabalha com juventude. Ele e a esposa estão na Bélgica, onde vão morar por um tempo.
  1. Texto edificante. Precisamos praticar o contentamento diariamente em nossas vidas e ser gratos por toda e qualquer situação que Deus nos proporciona, mesmo muitas delas sendo, aos nossos olhos, um problema.

  2. Estar contente em meio ao caos é um desafio.
    Encontrar alguém que tem feito isso tão bem me impulsiona a tentar (novamente).
    Reparar motivos de gratidão é o desafio para a semana!

  3. Estar contente em meio ao caos é um desafio.
    Encontrar alguém que tem feito isso tão bem me impulsiona a tentar (novamente).
    Reparar motivos de gratidão é o desafio para a semana!

  4. Antonia Leonora van der Meer

    Querido Magrão, tenho o privilégio de te conhecer há muito tempo, acompanhei algumas fases bem difíceis, mas também testemunhei sua coragem em não se entregar, em renovar a fé e a esperança, e assim encontrar a oportunidade para ser bênção para muitos. Que Deus renove a cada dia sua coragem, fé, e cuide de você, porque Ele te ama muito. Tonica

  5. Gosto muito dos seus textos, querido amigo Magrão, porque sei que vêm do fundo da sua alma. Você realmente tem ensinado àqueles que convivem com você sobre o contentamento e sobre a alegria do Senhor ser a nossa força. Que Deus continue a ser seu (nosso) porto seguro! Abraços!

  6. Excelente texto Magrão, que além de verdadeiro é também motivador. Parabés pelo dom de saber enxergar além das suas limitações, e fazer dessa experiencia uma lição de vida para todos nós, leitores!

  7. Esse texto aqueceu meu coração, muito obrigada, amigo querido, por nos relembrar sobre o contentamento e a verdadeira esperança, que é eterna. <3

  8. Isaque Viza de Souza

    Obrigado, Magrão.

    Segundo texto que leio sobre o assunto em um curto período de tempo. Uma reflexão para carregar para a minha semana.

    Que Deus nos sustente nessa caminhada rumo ao eterno contentamento ao lado dele.

    Um grande abraço.

Leave a Reply to Antonia Leonora van der Meer Cancel Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>