Wendy Starr/ Freeimages.com

Wendy Starr/ Freeimages.com

Faça seus votos para 2016. Mas vá na contramão. Não deseje mais coisas. Aprenda a desapegar-se do que torna sua caminhada desnecessariamente pesada, do que faz de você refém de objetos descartáveis, de sonhos fúteis.

Durante todo este ano, o blog Ultimato Jovem publicou conteúdo que consola, que fortalece, mas que também desafia a juventude a encarar a vida cristã como um dom maravilhoso, e, ao mesmo tempo, como uma decisão radical na direção da vontade de Deus.

Num geração cada vez mais cheia de penduricalhos e desejos consumistas, compartilhamos a canção do poeta Gladir Cabral: DESAPEGO. Que nossos desejos sejam reflexos de um coração disposto a servir a Cristo, porque “tudo o que temos/ Não constrói o que somos,/
Vida, vento, tempo, voz e chão”.

***

DESAPEGO

Por Gladir Cabral

Estender a esteira,
Sacudir a poeira,
Desatar as sandálias dos pés,
Entregar a moeda da mão
E o tesouro do seu coração.
Ir além da porteira
E cruzar a fronteira,
Não voltar mais os olhos pra trás,
Ignorar as estátuas e os sais
E os navios ancorados nos cais.

É preciso recusar,
É preciso esquecer,
É preciso não se apegar,
Porque tudo o que temos
Não constrói o que somos,
Vida, vento, tempo, voz e chão.

Possuir as estrelas,
Dominar as alturas,
Ter a posse das constelações,
Já não creio em tais ilusões,
Quero gente, fogueira e canções,
Uma vida mais simples,
De alegrias constantes
E de amores intensos e sãos,
De desejos sinceros e bons,
Como um quadro de múltiplos tons.

***

OUÇA A CANÇÃO

  1. Muito bom o texto! Refleti sobre o desapegar das coisas que não faz muito sentindo a nossa vida. E sim, de apegar realmente o que vale a pena, e o mais precioso, é o nosso Jesus Cristo! A nossa vida Cristã!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.