Hoje particularmente acordei com doces lembranças e muita saudade. Saudade do cheiro do mar, das ondas batendo, dos bons dias de surfe com os amigos, do feijão preto com macarrão da mamãe e, principalmente, das amizades conquistadas durante todos esses anos de caminhada. O grande apóstolo Paulo também teve uma longa e tensa jornada… quais seriam as doces lembranças carregadas em seu coração? Em suas cartas, há logo no início um trecho que nos dá uma pista importante:

“Antes de tudo, sou grato a Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vocês, porque em todo o mundo está sendo anunciada a fé que vocês tem”. Rm 1.8
“Sempre dou graças a meu Deus por vocês, por causa da graça que lhes foi dada por ele em Cristo Jesus”. 1 Cor 1.4

Continue lendo →

A Missão Portas Abertas promove, no próximo dia 19 de junho, o Domingo da Igreja Perseguida. Esta é uma realidade vivida por mais de 100 milhões de cristãos em todo o mundo. Não sabemos a quantidade de jovens incluídos nesse número, mas temos certeza de que não são poucos. No 3º Congresso Lausanne de Evangelização, Mundial, realizado em Cidade do Cabo, na África do Sul, uma adolescente coreana compartilhou um pouco da sua história e comoveu a todos com o testemunho de fé frente à restrição religiosa de seu país.

Aproveitamos a proximidade com a data para divulgar essa história e incentivá-lo a envolver-se com essa causa.

Oi, Meu nome é Giongchu Son. Eu vim para a Coreia do Sul em 2009. No momento, estou cursando o segundo ano do segundo grau. Nasci na cidade de Pyongyang. Sou filha única de uma família muito rica. Meu avô, que nasceu na China, voluntariou-se como soldado no exército chinês e serviu à Coreia do Norte durante a guerra coreana. Durante aquele, tempo ele conheceu minha vó, que também nasceu em Pyongyang, e lá se casaram e moraram. Meu avô foi um dos primeiros pilotos da força aérea da Coreia do Norte, meu pai era assistente de Kim Jong-il, que é o líder da Coreia do Norte, e minha mãe era professora de inglês. Continue lendo →

Na hora de escolher uma carreira, o seu jeito de ser e a sua personalidade são aspectos a serem levados em conta, mas não podem ser fatores determinantes na questão. Escolhas existem porque somos livres e temos a capacidade de pensar no que queremos. Quanto à carreira, não é diferente: “As abelhas sempre construirão colmeias, as formigas os formigueiros, as aranhas, as teias, e o homem não: o Alexandre será analista de sistemas, a Vilma psicóloga, o Gustavo arquiteto etc”.*

Realmente não acredito que haja tipos de personalidade que correspondam a tipos de profissão. Nada na vida é estagnado. Temos interesses diversos, além de muitas potencialidades, algumas das quais ainda não exploradas. Por isso, não deixe de escolher uma profissão apenas porque você acha que não reúne as características necessárias para exercê-la. Moisés antes de aceitar a missão hesitou. Continue lendo →

Oi gente,

Esse texto é bem interessante. Mas diz aí… você concorda com o que o Luciano disse sobre a geração T?

Aguardamos os comentários.

Meu amigo Patrick é francês e vive no Brasil há anos. Tem uma visão crítica da forma de ser do brasileiro em comparação a outros povos, especialmente os europeus. E eu me divirto com ele. Recentemente, presente a um desses eventos badalados que tratam de redes sociais, ele me ligou para descrever o público. Jovens, muito jovens, com seus iPads e iPhones, tuitando furiosamente Continue lendo →