Vivendo em guetos cristãos

Ult_jovem_06_05_15_caixaPor Alan Corrêa

O plano de Deus era que nós fôssemos sal diluído no mundo e luz brilhando em meio às trevas. Mas, por vezes, parece que muitos de nós fizemos opção por ser luz no clarão do meio dia e sal em meio a tanto sal amontoado.

Nos orgulhamos de não ter deixado o “mundo” nos acometer (e ainda chamam isso de santidade), mas não percebemos que também não invadimos o mundo para que vissem nossa luz e cressem n’Ele.

O evangelho que vivemos parece mais um “gueto cristão”. Nós somos os autores e os consumidores de todo tipo de cultura que produzimos. Nós escrevemos para evangélicos e lemos livros evangélicos comprados em livrarias evangélicas. Nós fazemos músicas evangélicas, escutamos músicas evangélicas e cantamos canções evangélicas.

Ouvi uma moça da igreja uma vez dizer – orgulhosa – que nunca na vida tinha ouvido “música secular”. Eu respondi dizendo que quem não ouve o tipo de música que ela chama de secular, não se torna uma pessoa mais santa do que quem as ouve. Na verdade, quem só ouve musica cristã tem menos cultura do que as demais pessoas que ouvem canções que não falam diretamente de Deus, mas que estão cheias da graça comum vinda d’Ele. Mais >