Com esperança, o encontro Vocare2016 termina e o movimento continua

Encerramento_oracao_joelhosOKPor Lissânder Dias

Terminou na manhã deste domingo (dia 24) o encontro Vocare2016. Foram quatro dias intensos de palavras, conversas, orações e troca de saberes nas dependências da Universidade UNICESUMAR, em Maringá (PR). Cerca de 1.100 pessoas participaram animadamente de toda a programação. O encerramento foi marcado pela leitura coletiva do último capítulo da Bíblia, após uma maratona que começou na quinta-feira com Gênesis 1 e terminou com centenas de pessoas lendo, juntas, Apocalipse 22. O texto é uma palavra profética de esperança do próprio Deus que diz: “Certamente venho logo!”.

O último preletor a falar no Vocare2016 foi Sandro Baggio, da Missão Steiger, que tem como missão “comunicar a mensagem da cruz para a juventude global”. Ele também é pastor da igreja Projeto 242, no contexto urbano de São Paulo.

Sandro Baggio ressaltou a esperança dos discípulos ao verem Jesus ressurreto e, com isso, assumiram, mesmo no sofrimento, a missão de serem testemunhas de Cristo no mundo. Relembrou como os cristãos de séculos anteriores enfrentaram as adversidades extremas em lugares longínquos para cumprir o chamado que Deus lhes deu. “Se Jesus ressuscitou, ele é a maior autoridade, e somos testemunhas disso. Se entendermos isso, nenhum sacrifício será maior para nós”.

Sandro Baggio 1OKBaggio terminou desafiando os jovens a se perguntarem: “E hoje, com tantas facilidades, com tanta tecnologia em nossas mãos, o que faremos para cumprir o chamado de Deus?”. E acrescentou: “comece servindo em sua igreja local e fazendo diferença onde você está”. “Fazemos parte da missão de um Deus que não abandonou o mundo, mas continua agindo nele”, afirmou.

Os últimos momentos do congresso foram marcados pelo sentimento de gratidão pelo que aconteceu nestes dias, para também pelo resultado da unidade experimentada pelas 26 organizações que se juntaram para realizar o evento. A oração final foi feita de joelhos, com cerca de 40 pessoas à frente. Elas irão para o campo missionário nos próximos meses. Juntos, os presentes oraram pela vida deles, pedindo intrepidez e coragem para que cumpram o trabalho.

“O melhor está por vir”, disse Weslley Silva, integrante da equipe coordenadora. “O  melhor do Movimento Vocare é o que faremos quando sairmos daqui”, concluiu.

Você pode relembrar o que rolou no Vocare2016 na nossa cobertura especial.

• Lissânder Dias é editor do Portal Ultimato Online e coordenou a equipe de comunicação da Ultimato no Vocare2016.

— Texto corrigido em 26/04/2016, às 12h18.

O Vocare não acaba hoje!

Por Camila Nogueira

Foi ao som de “Minha Pequena Luz”, com o grupo Arte de Transformar, que o último Celebra Vocare começou na noite de ontem, sábado (23), e animou os jovens participantes, no ginásio da Unicesumar em Maringá (PR).

Com muitos jogos de luzes, animação e criatividade, o grupo ADT levantou o público no início da celebração, com direito a danças, músicas com tambores, e até mesmo fogo e faíscas. Ao final da apresentação, a palavra Jesus podia ser lida nos tambores da equipe.

De muitos, um

Os testemunhos da noite ficaram com Ricardo Poquiviqui Terena e Henrique Terena, nativos da etnia Terena em membros do Conselho Nacional de Pastores e Líderes Indígenas Evangélicos (Conplei). Ricardo não escondeu a emoção ao falar da realidade indígena hoje no Brasil, lembrando que no começo da história do país havia cerca de 6 milhões de índios, e hoje em dia apenas 800 mil.

Ricardo contou sobre como a evangelização dos povos indígenas tem ocorrido e fez o público refletir com palavras fortes: “Algumas pessoas acham que elas não têm chamado para trabalhar com indígenas. Mas elas deviam se lembrar, que antes de ser chamado para um grupo específico, somos chamados para compartilhar a salvação com todas as pessoas”.

Henrique Terena falou sobre o Conplei Jovem, um encontro para jovens indígenas. Ele contou que em edição passada o congresso chegou a reunir 1800 jovens de diferentes etnias. Ele convidou todos os presentes para comparecerem ao próximo Conplei.

Ao final do testemunho, Ricardo, de maneira simbólica, colocou um cocar na cabeça de Rodrigo Gomes, líder do Vocare, simbolizando a unidade da igreja. “Nós somos todo iguais. Que possamos caminhar juntos”, afirmou.

O evento termina, mas o Movimento continua

Foi a vez de José Libério, da Toca do Estudante, trazer momentos de reflexão e desafios. “Eu sou Vocare”, fez o público falar em coro. “E sabe o que isso significa? Eu sou chamado”, afirmou. Libério ressaltou mais uma vez a mensagem de que todos têm uma vocação, um chamado.

Ele contou também um pouco da sua história e sobre como Deus revelou seu chamado e missão. “Eu entrei numa luta, levantei bandeira de partido, achando que quando nosso país elegesse um presidente, as coisas mudariam. Nós elegemos, e nada mudou. Então eu resolvi ser padre, porque as pessoas gostam de religiosos, e eu queria fazer a diferença. No seminário eu levei uma rasteira do Senhor. Ele falou comigo e disse que ia transformar meu coração de pedra em carne”, contou emocionado.

José chamou atenção para a paciência de Deus e a maneira com que Ele nos revela sua vontade. “Para fazermos diferença, temos que andar com aquele que foi diferente. A glória do Deus eterno nos foi oferecida, e mais importante: Ele nos aceitou, e repartiu essa glória conosco”, afirmou.

Em um momento de apelo e oração, Cassiano Luz relembrou três valores do Movimento Vocare: todos somos vocacionados, todos somos iguais e alguns são chamados para funções específicas. Ele também destacou aos participantes que “o Vocare não acaba hoje. Ele começa”.

O melhor está por vir! Sê Valente.

Após o apelo, Weslley Silva, um dos coordenadores do evento, anunciou oficialmente o Vocare 2017. Os jovens aplaudiram animados após a confirmação do encontro, que deve acontecer nos dias 21, 22 e 23 de abril. Weslley enfatizou: “o melhor ainda está por vir”.

Depois das reflexões e tantos desafios, o encerramento da última noite do Vocare2016 ficou por conta do som de Marcos Almeida. O jovem que decidiu levar a sério sua vocação, mas ainda tem dúvidas e medo sobre os próximos passos, pôde cantar e ouvir em alto e bom som: “O medo se vai quando ouço a voz do alto a me dizer: Sê valente, Sê valente!”.

• Camila Nogueira é estudante de jornalismo e integra a equipe comunicação da Ultimato no Vocare2016.