Por Gizelle e George Corrêa

Por cerca de 9 meses temos visitado e apresentado o evangelho a uma pequena comunidade ribeirinha com 13 casas, distante de Lábrea, AM cerca de 15 horas (no barco da MEAP1) subindo o rio Purus. Ali temos desenvolvido relacionamento de amizade com o povo local, entramos nas casas, tomamos café que nos é oferecido com muito carinho por cada comunitário, conversamos sobre os assuntos importantes para eles, o rio, os peixes, a subida e descida das águas, a roça, a caça, o que tiver para conversar. Às vezes, a conversa vai para um lado difícil, quando alguém relata sobre a enfermidade de um membro da família e a necessidade de assistência médica ou o assunto pode ser que “o rio não está para peixes”. Nessas e em outras ocasiões, aproveitamos para compartilhar as boas novas de Jesus e como Ele pode transformar as situações que para nós parecem perdidas, em bênçãos que nunca imaginamos.

Fazemos as reuniões evangelísticas na casa do líder da comunidade e cantamos louvores que glorificam a Deus e falam do contexto de vida ribeirinha. O rio, a floresta, a caça e a pesca, a roça são temas dos cânticos de adoração ao Deus que criou todas as coisas. Em recente visita a comunidade, a equipe missionária entrou, como de costume, nas casas, compartilhamos o café e refeições com o povo local, as pessoas iam até o barco para ouvirem um ensinamento, ou simplesmente para conversar e passar o tempo com os missionários, porém, Deus tinha algo de especial para esses dias no Pupuri.

Na ocasião, a equipe liderada pelo pastor George passou cinco dias na comunidade, foi possível realizar reuniões evangelísticas, por ocasião da Páscoa passar o filme Jesus e, no último dia pela manhã, ao término de uma reunião, um casal que, anos atrás ouviu o evangelho por missionários que passaram na região em outra comunidade, decidiu entregar suas vidas a Jesus pois nunca haviam feito isso publicamente. Logo mais, na reunião da noite, a esposa do líder da comunidade e dona da casa onde estávamos, sua filha de 5 anos e duas jovens também entregaram suas vidas ao Senhor. Na visita seguinte que fizemos à comunidade, enquanto ministrávamos a um grupo de adolescentes, duas delas também decidiram por Jesus. Agora, esses oito primeiros convertidos no Pupuri estão sendo discipulados para que amadureçam na fé e desde já compartilhem a palavra de Deus com outros ribeirinhos.

As pessoas agradecem por estarmos ali nos importando com elas e dizem que tem sido muito bom receber a Palavra de Deus.

Deus seja louvado pela transformação de vidas que tem acontecido nesta e em outras comunidades ao longo do rio Purus, no sul do Amazonas.

 

Nota:
1. MEAP – Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores

 

• Gizelle e George Corrêa, estudaram no Centro Evangélico de Missões (CEM), em Viçosa, MG, e são missionários filiados a Pioneiros Brasil em parceria com a MEAP. Atuam na evangelização de comunidades ribeirinhas no rio Purus, sul do Amazonas.

Leia mais:
» Como a história do missionário Vladimir nos inspira
» Missionários levam serviços de saúde para ribeirinhos na Amazônia

 

  1. Antonia Leonora van der Meer

    Que lindo relato dos queridos Gizelle e George, servindo entre os ribeirinhos. Graças a Deus pela sua fidelidade ao chamado, pelo amor que tem demonstrado ao povo de Pupuri. Fiquei muito feliz e oro por continuação de bênçãos…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.