A pobreza está sendo enfrentada na Comunidade Quilombola Barra de Oitis, em Diamante (PB), com a criação de plantações nos quintais das famílias, garantindo renda e alimento.

Por Ray Santana

Em pequenos municípios e comunidades rurais onde existem a escassez de água e baixos índices de geração de empregos, a agricultura familiar é uma alternativa ao enfrentamento da pobreza. É como acontece na Comunidade Quilombola Barra de Oitis, em Diamante (PB), com a criação de plantações nos quintais das famílias, contribuindo com renda e alimento.

Há 11 anos, a ACEV/ACEV Social desenvolve o Projeto Plantação, dentro de um conjunto de atividades do Programa Sertão Sustentável, que tem como foco o semiárido nordestino. O objetivo do projeto é desenvolver hortas agroecológicas e o cultivo de frutas e espécies nativas, propondo a melhoria da qualidade alimentar dos pequenos produtores agrícolas. Além dos campos, o projeto procura aproveitar pequenos espaços nas casas das famílias das comunidades rurais para a criação dos Quintais Produtivos, com o desenvolvimento de plantações de porte menor.

As famílias recebem o suporte para implementação do cultivo, orientações para a comercialização, inserção dos agricultores nos programas de aquisição de alimentos do governo e quanto ao uso nocivo dos agrotóxicos, prejudicial ao meio ambiente e ao homem, com exemplos positivos de processos de cultivo de outros locais em condições semelhantes que deram certo sem o uso de produtos químicos. Técnicas de manejo da terra, irrigação e o consumo consciente da água também são temas tratados nas reuniões da equipe com os agricultores, pensado também nas boas práticas relacionadas à preservação ambiental, a cultura local, além da vocação e a resiliência.

“O projeto disponibiliza os insumos que são necessários para a produção dos quintais produtivos. Primeiro há uma identificação das famílias com o perfil para a produção, ou que já produzem algo na agricultura. Após essa identificação e seleção das famílias, elas são capacitadas e orientadas nas suas áreas de produção sobre as sementes que vão produzir, que vão plantar. Então existe todo um processo”, destaca a coordenadora de projetos da ACEV Social, Marah Danielle.

A proposta é fazer com que, pelos quintais os produtores possam gerar renda por meio da comercialização dos produtos nas feiras locais, auxiliando assim na renda doméstica. O plantio é variado com frutas, plantas medicinais e ornamentais. E ainda em lugares onde há espaços, existe o incentivo à criação de aves e peixes.

A maior dificuldade para algumas comunidades ainda está no investimento inicial para o desenvolvimento dos quintais, e em outras o problema ainda é a gestão dos recursos hídricos. Por isso a ACEV busca utilizar os potenciais hídricos já existentes na comunidade e investir com os recursos necessários para a produção das hortas. Mas ainda falta muito a ser realizado. Apenas seis famílias fazem parte do projeto na Comunidade Quilombola Barra de Oitis, e outras esperam ser beneficiadas pelo projeto.

Jacilene Mariano Santana dos Santos, 34, e o esposo João Bosco Bezerra dos Santos, 38, pais de cinco filhos, nasceram na comunidade e desde crianças convivem com os altos e baixos da seca sertaneja. Hoje, com um grande quintal em sua casa, a família se viu muitas vezes fazendo planos para o aproveitamento do espaço para um plantio, mas o principal problema era a falta dos recursos necessários para iniciar a plantação, até a chegada do projeto.

“A nossa vida aqui é sofrida. Nossa maior dificuldade é a falta de trabalho e condições. É muito difícil ver as crianças pedindo até comida e não podermos dar. É difícil até pensar em ter que ir embora em busca de trabalho no sul. Estamos pedindo a Deus para os quintais produtivos darem certo. Meu sonho é ter uma melhoria para minha família”, afirma o agricultor João Bosco, que espera que com o bom desenvolvimento do projeto possa mudar a situação da sua família.

Fotos: Comunicação ACEV

Ray Santana é assessor de comunicação da ACEV Brasil.

Leia mais:
» Comunidades em transformação
» Banheiros são entregues na Comunidade Quilombola Barra de Oitis

  1. Antonia Leonora van der Meer

    Que iniciativa boa e sábia para ajudar as pessoas dessa comunidade a produzir alimentos saudáveis, com a ajuda necessária para começar a desenvolver esse projeto. Que Deus continue abençoando.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.