Por Julia Gomes

Você pode ter lido este título e desistido da leitura, mas seja como Paulo em relação a Timóteo, dê uma chance e ouvidos a esta jovem que te escreve. Pode ter passado em sua mente: o que Star Wars tem a ver com Queda e Redenção? Permita-me explicar minha analogia e perceberá que a galáxia muito, muito distante, pode ser mais próxima do que imaginamos.

Há muito tempo, num planeta muito, muito próximo… Adão comeu do fruto proibido. Assim, deu-se o fim de um tempo de luz, e o começo da era dominada pelo pecado. Toda a humanidade e criação sofrem as consequências até hoje. Adão falhou em resistir à tentação, tornou-se omisso, e com ele, todos caímos.

Agora, se você não está familiarizado com a saga, deixe-me apresentar Anakin Skywalker. Nascido escravo, entretanto numa reviravolta, os jedi – conhecidos como guardiões da paz – libertam o garoto e, visto ser um prodígio, resolvem treiná-lo para se tornar um cavaleiro jedi. Na Ordem, ele é acolhido, recebe um propósito, treinamento e cria laços de amizade. No entanto, isso não parecia ser o suficiente para Anakin, ele queria mais.

Durante seu crescimento, os jedi notaram grande dom no jovem Skywalker, não havia outro discípulo dotado de capacidade como a sua. Só podia ser ele o Escolhido, como dizia a profecia, a trazer equilíbrio à Força e restaurar a paz de uma galáxia em guerra. Isso foi transformado num fardo para Anakin que, mesmo liberto do trabalho escravo, ainda era servo de suas emoções e desejos.

Não tardou o maquiavélico Palpatine perceber a fraqueza e instabilidade no rapaz, seduzindo-o para o lado sombrio da Força, a oferecer inigualável poder e sabedoria tanto do lado da luz, quanto do lado da escuridão. Isso me remete a Adão e Eva atraídos pela ideia de conhecer o bem e o mal, ser como Deus. Da mesma forma, Anakin não resistiu à tentação, falhou no teste; e com isso, a galáxia afundou num período de opressão governada por Palpatine e seu império de trevas. A queda de Skywalker resultou na queda de todo o seu mundo, extermínio dos jedi e perda de sua identidade, transformando-se no vilão Darth Vader.

Passados longos anos, surge a esperança de derrotar o Império. Luke Skywalker, filho de Vader, trilhou o caminho jedi e parte para sua batalha final a fim de derrotar Palpatine. Desfalcado e sem forças, Luke está a ponto de ser morto pelo imperador, e é exatamente nesta hora que o plano do maligno é contrariado. Podemos dizer que, o único erro cometido por Palpatine em seus planos, foi subestimar o amor de um pai para com seu filho. Vader salva Luke, mesmo sabendo que isso o levaria a morte. Não é à toa que o filme recebe o título de “O Retorno do Jedi”, o sacrifício feito, trouxe Anakin Skywalker de volta. Não há mais Darth Vader, o Império caiu, e a guerra acabou.

Nesta grande saga, vejo no protagonista cuja história de 6 filmes foi resumida acima, três figuras. Adão, nós e Cristo. O fato é que, Adão nos representou, toda a humanidade caiu. Ademais, como Anakin, muitas vezes somos escravos de nossas emoções e desejos, ingratos, e nada do que nos é dado parece ser suficiente. O inimigo não compreende e subestima o amor de Deus para com seus filhos. E o Pai envia Jesus para morrer em nosso lugar, nos salvando de nossa própria perdição, restaurando nossa identidade.

Uma cena que me emociona muito em Star Wars é a galáxia comemorando o fim da guerra; toda nação, cultura, nos cantos mais longínquos, a celebrar a paz renovada. De maneira semelhante para nós, não há mais guerra, o príncipe da paz saiu vitorioso do sepulcro. Ele venceu a batalha, fomos resgatados do império das trevas, podemos juntos viver em seu reino de luz!

Portanto, quando a justiça nos chamou por nossa dívida, o amigo dos pecadores veio, morreu por nós. Não mais culpados, agora, justificados pelo sangue de Cristo na cruz. Onde havia um oceano de transgressões, a Graça transbordou. Somos libertos por sua verdade, não sou mais escravo da vontade. Assim, o velho homem ficou para trás, eis que surge o novo, meu eu original. Redenção.

Assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. Como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos. (Romanos 5:18-19)

  • Julia Oliveira Gomes, 18 anos. Estudante, acabou de concluir o ensino médio. Leitora voraz, ama C. S. Lewis e é fã de Star Wars. Gosta de música e tem paixão por piano.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *