Por Cássia de Oliveira

A maior dádiva que o ser humano pode desfrutar é a liberdade. A humanidade vem lutado por liberdade através dos séculos. Lutamos por liberdade de pensamento e de expressão. Grilhões da escravidão e injustiça foram esmagados em nome da liberdade individual e dignidade humana. Pela liberdade, revoluções foram feitas e mártires foram mortos. Vidas inteiras foram dedicadas à conquista das liberdades.

Nós, sociedades pós-modernas, já estamos acostumadas com a liberdade conquistada a suor e sangue pelos nossos antepassados. Para nós é tão corriqueiro ter liberdade política, religiosa, liberdade de ir e vir, liberdade pra escolher o cônjuge, autonomia pra escolher e construir o rumo de nossas próprias vidas.

Nos tempos de hoje, há outros tipos de liberdades que almejamos. Sonhamos em ser livres de nossos medos paralisantes, livres do relacionamento abusivo, livres da ansiedade, livres da carência e de traumas emocionais.

Entretanto, a liberdade que o ser humano mais almeja é a liberdade da escravidão do pecado. Esse tipo de liberdade não é possível obter através de revoluções sociais e força própria. Ela só foi possível através do sacrifício de Jesus na Cruz. Seu sangue nos fez verdadeiramente livres.

Na Páscoa, relembramos o último e verdadeiro êxodo, como afirma N.T. Wright. Mais do que a libertação do povo de Israel da escravidão física do Egito, a Páscoa é a celebração do sacrifício definitivo do cordeiro pascoal para a libertação da escravidão espiritual do pecado.

Agora, depende de nós desfrutarmos ou desprezarmos essa maravilhosa liberdade que nos foi conquistada a preço do mais precioso sangue. Nós, cristãos, somos muito rápidos em condenar a trágica história de Esaú, que trocou sua bênção da primogenitura por um prato de guisado. E nós, crentes de hoje, não fazemos pior, trocando a benção de ser livre pela horrenda escravidão de que já fomos vítimas?

Vamos celebrar a Páscoa da melhor maneira possível; permanecendo firmes na liberdade conquistada por Cristo no Calvário. Jesus vive!

“Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente.”
Gálatas 5.1

  • Cássia de Oliveira, Jornalista pela UFRGS e repórter da AD Guaíba. Atua na área de comunicação cristã e como colunista. Noticiando boas novas.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.