Por Jeverton “Magrão” Ledo

As lembranças contadas e guardadas em nossos corações são como que um álbum de fotografias, que revelam momentos inesquecíveis.

Sim, é claro para muitos nem tudo foi só alegria durante a infância, mas quero aproveitar o espaço para deixar os dias não tão bons um pouco de lado.

Você consegue fazer um pequeno exercício de fechar os olhos e permitir que os sabores, cores, amigos, brincadeiras e todo aquele pequeno grande universo ao qual você pertencia tome lugar e te conduza por essa pequena viagem?

Eu particularmente faço esse exercício e confesso que é sempre um prazer. As lembranças e seus muitos significados me ajudam a entender esse processo que vivenciamos a cada novo dia.

A criança guardada na memória reflete no adulto, que segue em processo de construção e transformação contínua.

Tenho o privilégio de seguir experimentando a convivência com os pequeninos e seus ensinamentos.

Eu dedico parte do meu tempo para o trabalho voluntário em um colégio, que considero como meu espaço terapêutico.

Sirvo como auxiliar na sala de aula de crianças entre 3 e 6 anos de idade. Nas atividades recreativas e de leitura, a atmosfera é contagiante, desafiadora e sempre gera reflexões.

Cada atividade e momento vivido traz suas próprias lições. As crianças, cheias de energia e perguntas, reabrem o universo da curiosidade que por vezes os adultos vão deixando de experimentar.

Não são apenas curiosos, são detalhistas e espontâneos. Também se irritam e deixam de se irritar em frações de segundos, querem ser o centro da atenção em um formato extremamente particular.

Mas como são verdadeiros e sinceros! Por falar em sinceridade, tem faltado um pouco desse ingrediente no mundo adulto.

Ah, o mundo adulto, e sua eterna corrida de 100 metros, com o desafio de ser o primeiro, ter reconhecimento, conquistar, construir… e a lista segue nos sobrecarregando a cada novo dia.

Já que mencionei o aspecto da sinceridade, faça outro pequeno exercício: o de ser sincero primeiro com você mesmo. Perceba que precisa parar e refletir para onde a vida está te conduzindo.

A criança vivencia cada momento, permitindo que algo novo preencha seu pequeno universo. Eu não sei exatamente o que preencheu aquele seu pequeno universo, mas não permita que aqueles dias não tão bons continuem a manter seu coração endurecido e fechado para receber algo novo e que te conduza a ser como a criança que enxerga o mundo na perspectiva do Criador.

 

  • Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e trabalha com juventude. É um apaixonado por quadrinhos e arte, e reside com a família na Bélgica.
  1. Rebecca Paradellas Barrozo

    Isso é tão verdade! O que mais aprendo com meu filho de 3 anos é viver e deliciar o momento presente, que, na verdade, é o único momento que nos compete viver. Abraços.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.