Por Cássia de Oliveira

“Como assim cansado? Mas é tão jovem!”. Qual jovem de hoje não ouviu essa exclamação de alguém mais velho? A geração passada já percebeu que os jovens andam muito cansados, parece que não são como a juventude de seu tempo, que esbanjava força e vigor.

Será que somos preguiçosos, passivos, indolentes? Em nossa defesa, venho lembrar que minha geração vive num ambiente exaustivo. Somos a geração multi: multitarefa para o mercado de trabalho, multidisciplinar na formação profissional, multimídia, multiconectada 24 horas, com multiestímulos, multinformação para uma só mente processar.

Vivemos uma áurea de imprevisibilidade; é a crise política e econômica, o desemprego, a cobrança pela alta performance, o noticiário desesperançoso. Somos a geração de excessos, nossa mente e olhos, tão jovens, já estão exauridos.

Aprendendo a relaxar

A grande questão é: como encontrar descanso diante desse cenário carregado? Podemos começar lembrando que está tudo bem se sentir cansado mentalmente e espiritualmente. Até os jovens se cansam e se fadigam, nos afirma a Bíblia.

Em tempos da Síndrome de Burnout, também precisamos reavaliar o descanso e o ócio como algo necessário, digno e humano. Quem nunca teve a sensação de que deveria estar fazendo algo útil enquanto tentava relaxar no seu momento de lazer? Estamos hiperligados a todo o instante e quando paramos ainda nos sentimos super culpados. Este é um sintoma doentio de uma sociedade que nos ensinou a perseguir a produtividade.

Nossa geração tem que reaprender a relaxar, desacelerar e não sentir um pingo de culpa por isso. O ócio é extremamente rico e criativo. O descanso compõe o ciclo do trabalho, como bem falou John Steinbeck: “A arte do descanso é uma parte da arte de trabalhar”. Sem falar que é um mandamento de Deus.

Nunca foi tão preciso tirar um tempo off, dar uma pausa no trabalho e nos estudos, ler um livro deitado na rede, tomar um café com um amigo, apreciar o pôr do sol, orar sem pressa, ler a Bíblia longe do celular. São hábitos saudáveis que teremos de retomar para manter nossa integridade mental e física. Especialistas da saúde e da psicologia já alertam que precisamos desacelerar, trabalhar menos e investir mais nos momentos de descontração se quisermos ter qualidade de vida.

E a maior resposta para o cansaço é saber que podemos encontrar alívio naquele que veio para os cansados e oprimidos, para substituir pesadas cargas por fardos leves. Em momentos de exaustão, temos a promessa de receber vigor e novas forças para continuar caminhando.

Em meio a um grave esgotamento emocional, espiritual e físico, Elias recebeu alimento de Deus para renovar suas forças. Ele tirou um longo período de sono na caverna, longe de toda a confusão, enfim descansou. E depois já revitalizado, continuou sua jornada. Descansar durante o turbilhão que se move dentro de você é possível através da paz divina, que somente Cristo pode dar. O Príncipe da Paz nos garante refrigério e verdadeiro descanso nessa terra de aflições, e depois o repouso eterno com Ele em sua morada celestial.

O sábio rei Salomão já em sua velhice percebeu que estar sempre correndo e esgotado é uma triste maneira de viver e uma pura ilusão:

“Dizem que só mesmo um louco chegaria ao ponto de cruzar os braços e passar fome até morrer. Pode ser. Mas é melhor ter pouco nas mãos, com paz de espírito, do que estar sempre com as duas mãos cheias de trabalho, tentando pegar o vento.

Para que é que ele trabalha tanto, deixando de aproveitar as coisas boas da vida? Isso também é ilusão, é uma triste maneira de viver.” (Eclesiastes 4.5,6,8)

Vamos relaxar, pessoal! Viver de verdade e descansar em Deus.

  • Cássia de Oliveira, 25. Jornalista formada pela UFRGS, noticiando boas novas. Fã de Jane Austen, defensora dos direitos das mulheres e cristã com senso crítico até dizer chega. Congrega na Assembleia de Deus de Guaíba/RS.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *