Na metade do século sétimo antes de Cristo, um agropecuarista chamado Amós, nascido perto da cidade de Belém, abriu o verbo contra a berrante injustiça social que era praticada em Israel na época do rei Jeroboão (do ano 793 a 753 a.C.). Suas denúncias são precisas e frontais:

Vocês “vendem por prata o justo, e por um par de sandálias o pobre” (Am 2.6).1 Em outras palavras: Vocês recebem dinheiro por fora (suborno) para condenar o inocente e estão vendendo os pobres como escravos por não terem eles como pagar a dívida irrisória (“um par de sandálias”).

Vocês “pisam a cabeça dos necessitados como pisam o pó da terra, e negam a justiça ao oprimido” (Am 2.7).

Vocês “não sabem agir com retidão” e “acumulam em seus palácios o que roubaram e saquearam” (Am 3.10).

“Vocês estão transformando o direito em amargura e atirando a justiça ao chão” (Am 5.7). Em outras palavras: Vocês estão corrompendo os tribunais, transformando-os em instrumento da injustiça.

“Vocês odeiam aquele que defende a justiça no tribunal e detestam aquele que fala a verdade” (Am 5.10). Em outras palavras: Vocês não se conformam com o trabalho dos reformadores sociais nem com o testemunho daquele que não faz uso da mentira.

“Vocês oprimem o pobre e o forçam a dar-lhes o trigo” (Am 5.11). Em outras palavras: Vocês fazem o que Faraó fez com seus pais — retiram dos trabalhadores braçais certos benefícios e exigem a mesma produção (Êx 5.6-9).

“Vocês oprimem o justo, recebem suborno e impedem que se faça justiça ao pobre nos tribunais” (Am 5.12). Em outras palavras: Vocês mesmos não praticam justiça nem deixam praticar aqueles que gostariam de fazê-lo (Mt 23.13).

“Vocês bebem vinho em grandes taças e se ungem com os mais finos óleos, mas não se entristecem com a ruína de José” (Am 6.6). Em outras palavras: Vocês usufruem do bom e do melhor, têm cada vez mais, e os outros passam fome e têm cada vez menos.

“Vocês transformaram o direito em veneno, e o fruto da justiça em amargura” (Am 6.12). Em outras palavras: Vocês estão de tal modo corrompidos que são capazes de fazer coisas absurdas, como lavrar os rochedos com uma junta de bois e transformar o fruto da justiça (paz, tranquilidade e confiança, segundo Isaías 32.17) em amargura. É o mesmo que transformar pão em pedra, vinho em água, ovo em serpente, santidade em perversão.

Vocês comercializam o trigo, “diminuindo a medida, aumentando o preço, enganando com balanças desonestas e… vendendo até palha com o trigo” (Am 8.5,6).

Nota:
1. Textos bíblicos retirados da Nova Versão Internacional (NVI).

 

Publicado originalmente na edição 289 (julho/agosto 2004) Ultimato.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.