Aproveitando o lançamento da campanha Renove Nosso Mundo, no dia 1º de março, que aborda questões relacionadas à mudança climática e a nossa resposta ao meio ambiente, a equipe Miquéias Global fez uma entrevista sobre mudança climática e fé com Brian Oldrieve, da organização Foundations for Farming. Reproduzidos aqui no blog a entrevista publicada no site da Tearfund. Confira:

Se você tivesse um minuto para falar com a igreja ao redor do mundo sobre a situação atual do clima, o que você diria?

Foto: Tearfund Brasil

Atualmente há evidências científicas suficientes de que a mudança climática é algo real e não apenas um subterfúgio de manipulação criado por alarmistas do sistema político global. As pesquisas nos mostram que um dos efeitos de longo prazo da mudança climática é a possibilidade de não termos condições de alimentar o mundo até o ano 2050.

Eu afirmaria com confiança que a causa fundamental do problema representado pela mudança climática é o egoísmo da humanidade corrompida e quem humanamente falando, é impossível desacelerar suficientemente os efeitos causais prejudiciais e reverter este desastre.

A única esperança é um milagre do Senhor, e isso só acontecerá se uma suficiente massa crítica da igreja global colocar em prática a promessa condicional do Senhor que encontramos em 2 Crônicas 7:14:

“se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra (um termo holístico que inclui todo o meio ambiente).” Continue lendo →

Estão abertas na Universidade de Brasília (UNB) as inscrições para o único programa no Brasil em nível de mestrado voltado especificamente a pessoas oriundas de comunidades tradicionais. O Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Territórios Tradicionais (MESPT) visa à formação de profissionais para o desenvolvimento de pesquisas e intervenções sociais, com base no diálogo de saberes (científicos e tradicionais) e em prol do exercício e fortalecimento de direitos, da vida, do território e do meio ambiente; da valorização da sociobiodiversidade e do patrimônio cultural de povos indígenas, quilombolas e demais comunidades tradicionais.

De acordo com a professora Mônica Nogueira, coordenadora do programa, o curso surgiu quando a Universidade percebeu que “havia uma demanda por parte de profissionais graduados em diversas áreas, vindos de comunidades tradicionais, e que desejavam ter um espaço de reflexão, de suas práticas, de desenvolvimentos de pesquisas orientadas à transformação positiva da realidade desses povos e comunidades em todo o Brasil”.

O MESPT é um curso semipresencial, com carga horária de 420 horas e duração de 24 meses. As atividades presenciais são realizadas nas instalações da Universidade de Brasília (nos campi Darcy Ribeiro e Planaltina) e distribuídas em 7 momentos presenciais, com variação de 1 a 5 semanas. O curso é gratuito e as inscrições encerram dia 8 de maio. Continue lendo →

No período de 14 a 24 de abril, acontece em Belém (PA) mais uma mobilização Jesus Transforma, da Junta de Missões da Convenção Batista Brasileira. A Trans, como é conhecida, é uma ação missionária que envolve centenas de voluntários com o objetivo de comunicar o evangelho em diversas cidades do Brasil. Outro objetivo esperado é que durante a Trans igrejas possam ser revitalizadas ou novas igrejas possam ser plantadas.

Após receberem o devido preparo, os voluntários são divididos em equipes e direcionados para frentes de plantação ou fortalecimento de alguma igreja. Acompanhados por pastores ou missionários experientes, os voluntários participam de diversas atividades de evangelização e serviço. Ao final do projeto, missionários são nomeados para dar continuidade ao trabalho, orientando os recém-convertidos e direcionando a nova igreja.

Os interessados em participar da Trans precisam ser membros de igrejas Batistas da Convenção Batista Brasileira e ter recomendação do seu pastor.

Serviço
Evento: Projeto Jesus Transforma.
Data: 14 a 24 de abril de 2017.
Local: Belém, Pará.
Realização: Junta Missões Nacionais (JMN) da Convenção Batista Brasileira (CBB).
Clique aqui para inscrições e mais informações.

As mulheres Warao pedem esmolas e vendem artesanato nas ruas de Manaus (Foto: Elaíze Farias/Amazônia Real)

Mais de 100 indígenas da etnia Warao, originários da Venezuela, chegaram a Manaus (AM) no início deste ano. Sem moradia e sem falar o português, eles se espalham nas proximidades da rodoviária e nas ruas do centro da cidade. Segundo a matéria publicada no site Amazônia Real, essas pessoas deixaram a Venezuela e chegaram à capital amazonense em busca de comida.

A Pastoral do Migrante, legada à Arquidiocese de Manaus, fez um mapeamento e identificou cerca de 130 índios, no mês de janeiro. Atualmente somam 115 indivíduos, divididos em três grupos, sendo que um deles vive há mais de um mês no entorno da Rodoviária.

“No local, eles dormem em barracas de lona azul. Lavam as roupas e as penduram na cerca de arame farpado da rodoviária, como se fosse um gigante varal. Tudo que eles têm dentro das barracas são sacolas com alimentos, calçados, medicamentos, roupas, brinquedos, entre outros itens, doados pela população de Manaus; pessoas ligadas a igrejas, escolas e o cidadão comum que tem o sentimento humanitário e solidário”, descreve a matéria. Continue lendo →

Acontece no período de 12 a 15 de abril, em João Pessoa (PB), mais um congresso da Missão Juvep. Com o tema “A Mensagem da Cruz, para sua Vida, para a Igreja e para o Mundo”, o evento traz ao Brasil Donald Arthur Carson, um dos maiores especialistas em Novo Testamento em nível mundial.

Além de D. A. Carson, o congresso contará com a participação de Aurivan Marinho (pastor e filósofo), Ronaldo Lidório (missionário da APMT), Sérgio Ribeiro (fundador e presidente da Juvep) e o irmão Mehdi (ex-muçulmano do Norte da África convertido a Cristo).

A Juvep é uma missão interdenominacional que tem como principal foco a evangelização e plantio de igrejas no sertão Nordestino e nos povos minoritários da região. Entres os projetos que missão desenvolve estão os projetos missionários de curto prazo realizado nas férias e outras iniciativas de capacitação para obreiros que desejam trabalhar no sertão.

A inscrição para participar do congresso é gratuita.

Serviço
Evento: Congresso Juvep 2017.
Data: 12 a 15 de abril.
Local: Espaço Gospel, em João Pessoa, Paraíba.
Clique aqui para mais informações ou entre em contato pelo e-mail: congresso@juvep.com.br.

 

As regiões Norte e Nordeste do Brasil tiveram um aumento de mais de 75% na taxa de feminicídio no período de 2003 a 2013, segundo relatório divulgado na quarta-feira (8) pelo Banco Mundial.

Na região Norte, o índice passou de 3,5 para 6,1 assassinatos a cada 100 mil mulheres. No Nordeste, saiu de 3,2 para 5,6 assassinatos, enquanto a média nacional de 2013 era de 4,8 homicídios para cada 100 mil mulheres. A região mais violenta para a população feminina continua sendo o Centro-Oeste (7,0).

O levantamento, publicado na ocasião do Dia Internacional das Mulheres, alertou para a marginalização persistente de mulheres afrodescendentes e indígenas no país.

No Nordeste, a taxa de feminicídio contra negras e pardas aumentou mais de 103% no período avaliado, chegando a 5,8 em 2013. Entre mulheres brancas vivendo na região, o índice é de 2,3, bem abaixo da média nordestina e maior que o dobro do verificado entre as afrodescendentes. Continue lendo →

Por Héber Negrão

Existem povos não alcançados no Brasil?

Muitas vezes o uso constante de algumas expressões acaba por nos distanciar do peso de seu real significado. Isso acontece quando nos referimos corriqueiramente às Escrituras como “Palavra de Deus” sem de fato considerarmos que neste livro o próprio Deus fala com seu povo, usando suas próprias palavras. O mesmo ocorre com o termo “Povos Não Alcançados” tão usado na missiologia e diluído na prática diária da igreja. De tanto ouvirmos essa expressão nos últimos anos acabamos por não assimilar de fato que ainda hoje existe povos que nunca ouviram falar de Cristo e de seu amor.

Um bom exemplo de Povo Não Alcançado é a tribo isolada que foi avistada no final de 2016 por um fotógrafo que sobrevoava a floresta amazônica, próximo à fronteira do Acre com o Peru. Por causa de uma tempestade seu helicóptero precisou fazer um desvio de rota. Foi quando ele se deparou com um aldeamento no meio da mata. “Depois da chuva, a gente voltou e viu umas malocas feitas de palha. A gente estava voando muito rápido, mas vimos plantações e decidimos voltar. Encontramos a tribo e eu comecei a fotografar”[1] relata.

Índios do Maitá – Tribo isolada fotografada em 2016

Apesar do sobrevoo de apenas sete minutos o povo – identificado como Índios do Maitá – se assustou com a aproximação da aeronave e passou a disparar várias flechas para tentar afugentá-los. O curto tempo foi suficiente para algumas observações da tribo. Um sertanista da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) que também estava na viagem identificou que aquela aldeia é composta por aproximadamente 300 pessoas; as mulheres usam saiotes de algodão tecido e os homens são carecas da metade frontal da cabeça e tem o cabelo comprido na parte de trás; os índios são altos e foram identificadas plantações de milho, banana, mandioca e batata. No sobrevoo não foram detectados nenhum objeto ou quaisquer outras características que mostram alguma influência ou contato com pessoas da cidade. Continue lendo →