Poesia fotográfica | John Medcraft e Zenilda Lua

Um eito de temor invade o mundo

O vento nunca foi tão evitado

Se uma pessoa espirra do seu lado

Misericórdia! Tudo vira um rebuliço

E, se tosse? Por Jesus, que sacrifício

É gente correndo, parece desenganado

 

Foi preciso aparecer um vírus desse

Para os pais ficarem um pouco com seus filhos

Para o músico pensar um novo estribilho

E o poeta deixar de ser aluado

Para o planeta respirar aliviado

E, o idoso não ser apenas empecilho

 

O vírus trouxe até reflexão

Ponderância para o excesso de consumo

Oração demorada e sem resumo

Tolerância, paciência e até bondade

Perversos estão fazendo caridade

Convertendo-se para o bem de um novo rumo

 

Aproveito e lembro daquele vento

Que veio abrindo o mar para Moises

E o povo passou sem água nos pés

O milagre que jamais foi esquecido

Eu não sei quem você tem preferido

Só sei que Deus honra os que lhe são fiéis.

 

Outro vento trouxe as codornas do mar

Espalhando-as no arraial do deserto

Quando o povo reclamava o tempo incerto

Sem comida, e sem carne pra almoçar

Deus mandou solução para o lugar

E a alegria tão distante veio pra perto.

 

Um profeta também sofreu grande medo

Escolheu uma caverna, e se escondeu

Deus mandou vento forte, e disse-lhe: “Saia”.

Elias, confiante obedeceu

e tudo se fez brando, se fez calmo

em seguida, ele encontrou o Eliseu.

 

Outro vento que soprou impetuoso

Marcando os seguidores de Jesus

Foi quando desceu o Espírito Santo

Enchendo todo o lugar com a sua luz

Em voz alta falavam-se várias línguas

Confirmando-se a importância da Cruz.

 

Use a fé, a esperança, e não se abata

Creia em Deus, e em Jesus que é “SENHOR”

O vento Deles ainda sopra NÃO SAIA, só SINTA!

É como a tinta que imprime a cor do AMOR.

 

Zenilda Lua

Crédito das fotografias: John Medcraft

 

• Zenilda Lua, nascida em Patos (PB), reside atualmente em São José dos Campos (SP). Atua como Assistente Social, escreveu livros de poemas e é mãe de Brisa.

• John Philip Medcraft, nascido em Londres, naturalizado brasileiro, mora em Patos (PB) há 45 anos. É pastor presidente da ACEV (Ação Evangélica) com compromisso com missão integral nos sertões nordestinos. Apaixonado por Jesus, Betinha, Caatinga e QPR (idealmente nesta ordem).

 

Leia mais: 
» Incompleta de vazios
» Beleza das cores e formas que Deus criou
» 10 coisas que você precisa saber sobre poesia

  1. Antonia Leonora van der Meer

    Muito lindas fotos e muita linda poesia. Que possam brotar novos dons nesse tempo de pandemia, para a glória do Senhor!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.