Prática da Leitura da Bíblia

Na leitura da Bíblia, a ingestão depende de nós.

É necessário “comer” a Palavra de Deus. Basta comer: “abrir a boca”, abrir-se para Deus. A leitura formal, superficial, ocasional ou supersticiosa rende muito pouco ou nada; assim como a leitura feita para satisfazer apenas o intelecto.

A digestão não depende de nós. O que é necessário modificar em sua rotina para que a Palavra de Deus se torne sua meditação todo o dia?

Continue lendo

Prática da Oração

A oração parece uma decantada loucura. Como pode o homem comunicar-se com o próprio Deus em qualquer tempo, em qualquer lugar e em qualquer situação, se este é o Senhor de todo o Universo e aquele, um miserável habitante de um pequeno planeta? Como pode Deus ouvir as orações diárias que pelo menos os quase 2 bilhões de cristãos lhe dirigem?

Continue lendo

Prática da Confissão

Na caminhada cristã, todos tropeçamos e nos sujamos de novo com o pecado. Como voltar ao prumo? Como retomar o caminho de santidade proposto por Deus?
A confissão verdadeira remove a crise provocada pelo pecado e restaura a comunhão perdida ou arranhada. A comprovação de sua eficácia depende mais da fé do que de sentimentos. Por meio da contínua confissão de qualquer transgressão e de qualquer omissão é perfeitamente possível manter a higiene da alma.

Continue lendo

Prática da humildade

A humildade não pode ser aparente nem fingida. Ela existe ou não existe. É uma virtude para Deus ver, e não para o homem ver. A humildade não é a negação pura e simples de dons, capacitação e virtudes pessoais. E, não há como negar: a humildade é uma das virtudes mais difíceis e raras, possível apenas com o auxílio do próprio Deus e pela zelosa imitação da humildade de Jesus.

Continue lendo

A prática da espera

Um dos maiores transtornos do homem é não saber nem querer esperar. Assim como o feto gasta nove meses para se transformar em uma criança apta para sair do ventre materno e sobreviver fora dele, muitas de nossas carências não são nem podem ser satisfeitas imediatamente, ao toque de uma varinha de condão, como muitos querem.
A prática da espera é difícil por causa da impaciência, do imediatismo e da curiosidade. Um erro é não esperar nada, outro é não saber esperar.

Continue lendo

Prática da confiança

Fé nem sempre significa confiança. A fé está mais perto da teoria e a confiança está mais perto da conduta.

A prática da confiança é a arte de colocar em Deus toda a capacidade de crer, em qualquer tempo e em qualquer situação. No entanto, a plena confiança não surge de uma hora para outra. A fé seria a porta de entrada e a confiança seria o caminho a percorrer.

A sua confiança em Deus tem crescido gradativamente ou está estagnada?

Continue lendo

Prática da Ousadia

Não é pequeno o número de tímidos. Por causa da timidez, o homem não faz tudo que poderia fazer, não alcança todas as vitórias que poderia alcançar. A prática da ousadia é a arte de portar-se corajosamente diante das obrigações, oportunidades e desafios da vida cristã.

Continue lendo

Prática do Poder

Existe poder aquisitivo, poder político, poder jovem, poder mental, poder internacional. Existe também o poder espiritual, que difere substancialmente de qualquer outro tipo de poder. Reúne uma porção enorme de valores relacionados com a vida em estreita e permanente comunhão com Deus, como aptidão, autoridade, eficácia, entusiasmo, força, influência, meios, possibilidades, recursos e vigor. Na visão cristã, a origem do poder é totalmente diversa e tem propósitos também diversos.

Continue lendo

A prática da alegria

A alegria não é só uma opção de vida. É uma ordem de Deus ao seu povo. A prática da alegria é a arte de oferecer resistência à tristeza por meio do gozo proporcionado pela presença de Deus na vida daquele que o busca honesta e continuamente. Depende da descoberta e exploração das muitas e variadas minas de alegria que estão à margem do caminho em direção à vida eterna.

Continue lendo

Para cantar com graça no coração

O louvor está associado à nossa fé e os cânticos devem ser a expressão de uma experiência com Deus. Deus requer de nós criatividade e também fidelidade. 

A música ensina e, por isso mesmo, as Escrituras devem ser sempre o critério aferidor de todas as nossas experiências, emoções e gosto.

O conhecimento de Deus está presente em nossos cânticos? O que fazer para que a música seja ade­quada ao ensino da Palavra de Deus?

Continue lendo

A Soberania de Deus e o sofrimento do crente

Os sofrimentos que os crentes enfrentam são reais e têm vários motivos. Mas, por que os cristãos sofrem?

Bem, esse não é um problema novo. Os salmistas sofreram e falaram sobre isso. Reclamaram da ausência de preocupação e da prosperi­dade daqueles que não servem ao Senhor.
Como lidar com isso? Podemos confiar nas promessas de Deus?

Continue lendo

Uma teologia pragmática de culto

A simples funcionalidade de alguma coisa não indica necessariamente que ela seja a melhor. No entanto, não é raro perceber entre os evangélicos, a tentação de trocar a verdade por aquilo que funciona.

O nosso desafio em todas as áreas, inclusive em nosso culto, é glorificar a Deus. Não podemos permitir que critérios estranhos à Palavra de Deus nos orientem em nossas práticas e decisões, tampouco em nossa adoração.

Continue lendo

Soberania, responsabilidade e liberdade

Como compreender a relação entre a soberania de Deus e a nossa responsabilidade?

Se Deus decretou tudo e sua soberania estende-se a todas as suas criaturas, inclusive o homem, será que somos verdadeiramente livres? O plano de Deus abrange também as nossas decisões morais, como o pecado?

Continue lendo

A cilada da desobediência e o culto

A religiosidade é companheira inseparável de todas as culturas. A adoração é uma expressão da religiosidade de cada povo e a forma de culto varia de religião para religião e esta assume características próprias em cada povo.

O que a Bíblia diz sobre o culto? Prestar culto a Deus implica em obedecer à sua Palavra?

Continue lendo