Poesia fotográfica
John Medcraft e Zenilda Lua

 

No início era uma escuridão medonha
Deus achou tudo sombrio e nebuloso
ativou sua graça e seu poder
deixou tudo ambientado e luminoso

 

Com o traquejo de um artesão criativo
colocou proporções e movimentos
fez estrelas, rios, terra, sol e vento
fez a lua e um jardim com vários tons
Deus ficou tão empolgado, achou tão bom
que até fez árvores lindas e que dão alimento

 

E foi fazendo animais de vários tipos
saltitantes, voadores, rastejantes
nadadores planadores, galopantes
uma infinidade de beleza plena
Deus só não sabia que o homem
seria a criação que lhe daria
mais problema

 

O homem devasta a natureza
polui rios, envenena os alimentos
faz sujeiras e acordos fraudulentos
para oprimir quem produz e quem preserva
toca fogo nas florestas nas reservas
e apoia governantes extremistas
avançando na avareza e na cobiça
saqueando a premissa que conserva

 

Não sabemos qual é a tua postura
teus valores e quem você tem preferido
só queríamos fazer-lhe um pedido
olhe as árvores com carinho e vagareza
veja as flores, as abelhas e os passarinhos
e nos ajude a proteger a natureza

 

Separe o lixo não desperdice mais água
apague a luz quando sair do lugar
“exulte o céu, a terra, o firmamento”
seja alento por onde você passar.

Crédito das fotografias: John Medcraft

 

    • Zenilda Lua, nascida em Patos (PB), reside atualmente em São José dos Campos (SP). Atua como Assistente Social, escreveu livros de poemas e é mãe de Brisa.

 

    • John Philip Medcraft, nascido em Londres, naturalizado brasileiro, mora em Patos (PB) há 45 anos. É pastor presidente da ACEV (Ação Evangélica) com compromisso com missão integral nos sertões nordestinos. Apaixonado por Jesus, Betinha, Caatinga e QPR (idealmente nesta ordem).

 

Leia mais: 
» Visita
» Divina plenitude

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.