Por Jean Mendes

Tristes regressos, atos vergonhosos,
Trapaças nunca vistas, nem lembradas,
São, ó Brasil meu! histórias manchadas
De uns que mandam aqui tão podeosos:

Sentiram-se espertos, e presunçosos,
No país das coisas tão desleixadas,
Das gentes humildes, tanto exploradas,
De quem se aproveitam os mentirosos.

Levou-nos o direito a tal cobiça,
Ficamos sem ação, justiça manca,
Maracutaia, mensalão, conchavos:

Ninguém lê, ninguém fala, nem se arrisca,
E é que, quem o direito nos arranca,
Nos arranca as mãos, a língua, os olhos.

  • Jean Mendes, 26 anos. É estudante de Letras, coopera no trabalho com jovens e adolescentes na Igreja Presbiteriana de Viçosa-MG e faz parte do Conselho Editorial Jovem e do Núcleo Web da Editora Ultimato.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>