Ult_Jovem_24_12_14_compactaCada geração precisa ouvir de novo este convite: olha, vocês são chamados para a santidade porque o Deus de vocês é santo”, afirmou Ziel Machado, historiador e professor seminarista, quando questionado sobre a importância da Conferência Steiger. Ziel havia acabado de falar sobre relevância sem comprometimento ao abrir as pregações da manhã de sábado, 1 de novembro. “Um evento como esse faz com que a gente volte à Escritura para definir estes conceitos de maneira apropriada e traduzi-los para esta geração”, explica.

Foi durante a segunda edição da Conferência Steiger, na Igreja Casa da Rocha, no bairro do Cambuci no centro de São Paulo, que foram abertas oficialmente as inscrições para o Treinamento Compacta que acontecerá em janeiro de 2015. Com vagas limitadas, o treinamento oferecido pela Missão Steiger é uma oportunidade de aprofundar em temas abordados durante a Conferência Steiger e conta, inclusive, com a participação de alguns dos mesmos palestrantes do evento.

Com o tema “Relevância e Reverência”, a Conferência, que aconteceu 31 de outubro e 1º de novembro, iniciou-se com, além do momento de louvor, a ministração de David Pierce, fundador da Missão Steiger International, organização que visa alcançar a juventude global secularizada. A palavra que trouxe sobre santidade foi uma mostra das reflexões que ainda viriam pela frente. David perguntou qual Jesus a Igreja quer servir. “O Jesus legal?”, questionou, “só se quiser ser irreverente”, disse.

Quem é de fora e observa a aparência e o perfil moderno de quem organizou a Conferência e de quem foi ouvir estas provocações, pode se perguntar o que motiva cerca de 400 pessoas, em sua maioria jovem, se reunirem para ouvirem sobre a busca pela santidade, pela relevância e pela reverência a Deus. “Que Deus?”, podem até perguntar alguns. Sem querer querendo, Ziel explicou porque era importante falar sobre estas coisas ao final de sua pregação. Baseado nas cartas do Apóstolo Paulo ele disse que é “para fugir da ignorância”.

“Durante muito tempo a gente entendeu a santidade de uma forma negativa, como se Deus fosse alguém que estraga o prazer das pessoas, como se a santidade Cristã fosse uma negação à vida. E é todo o contrário, ela é a afirmação da verdadeira vida”, afirmou Ziel que acredita que a Igreja só pode ser relevante se for santa segundo os valores do Evangelho e vice-versa.

Logo em seguida, Guilherme Carvalho, mestre em Teologia e em Ciências da Religião, falou sobre reverência e como manter-se firme em atuais tempos de relativismos. “A soberania de Deus é absoluta e todas as coisas são relativas a Ele”, afirmou explicando que “as ideias mudam na medida em que o homem se aproxima de Cristo, a verdade absoluta”. Guilherme baseou seu sermão nos três primeiros mandamentos de Deus ao povo de Israel, descritos no livro de Êxodo: não terás outros deuses; não fará imagens de esculturas e; não tomarás o nome de Deus em vão. Ao final, resumiu que a forma de manter a reverência é “não matando a sede existencial em qualquer outro lugar a não ser em Deus”. Jonas Madureira, bacharel em Teologia, mestre e doutor em Filosofia, completou este raciocínio após, explicando que ao invés do homem ter uma alma, o homem é alma e feita insatisfeita pelo próprio Criador.

Além de crer, é necessário confessar a fé e mantê-la pública, mesmo em uma sociedade mundana. Jonas abordou que o secularismo não é a forma como as pessoas se apresentam e que a divisão entre o secular e o não secular surgiu na própria Igreja. “Manchamos a soberania de Deus quando não admitimos que Ele existe em toda a esfera humana”, afirmou. A partir disso, a reflexão foi focada no quanto Cristãos se recusam a levar o Evangelho em determinados lugares porque os consideram mundanos e o quanto é possível apresentar de maneira relevante a palavra de Deus. Basta entender que o mais importante é o que se pensa e não as aparências.

Ult_Jovem_24_12_14_compacta_2Muita informação e muitas dúvidas a serem discutidas. Após uma manhã cheia de meditações e uma pausa para o almoço, começou o M15, palestras de 15 minutos em um bate-papo com especialistas sobre temas específicos. Com mediação de Luke Greenwood, os palestrantes Sandro Baggio, Caio Peres, Pipe, Philip John Greenwood e Zé Bruno abordaram assuntos que foram desde justiça social cristã ao rock ativismo e o punk apologeta, entre outros. Depois o público pode fazer perguntas diretas sobre cada abordagem. Zé Bruno, vocalista da Banda Resgate e pastor da Igreja Casa da Rocha, achou incrível a participação dos jovens. “O legal é que tem uma gente nova, gente que está começando a dar os passos ministeriais, mas já arejando a cabeça com reflexões profundas da fé e da missão. Isto é fantástico”, afirmou.

A Conferência Steiger fechou a noite de sábado com louvores e com mais uma ministração de David Pierce que, após uma encenação, contou alguns testemunhos e explicou porque às vezes algumas coisas dão errado na hora de cumprir o Ide de Jesus. “Estamos dando respostas para perguntas que as pessoas não estão fazendo. O que as pessoas pensam sobre Deus precisa ser considerado antes de falar sobre Deus a elas”, disse.

Ana Paula Peralva, 20, é da PIB Gólgota em Curitiba (PR) e Cristã há sete anos. Ela acha que os temas trabalhados no evento são poucos conversados na Igreja. “As pessoas querem saber muito da igreja para dentro e não da igreja para fora. Ninguém quer ir onde estão as pessoas e sim querem esperar que elas venham até elas”, falou.

“Aprendi que o mundo precisa ouvir e não preciso falar de maneira tão direta assim, mas que podemos nos expressar com arte e com música, algo que atrai de um jeito diferente”, explicou Daniela Sena, 26, que faz parte do Projeto 242 e nunca havia participado de um encontro como este. “Aprendi que o que faz a gente ser secular, ou não, não é a forma como nos vestimos, mas a forma como pensamos”, concluiu.

Luke Greenwood, membro da Missão Steiger e da Banda Alegórica, foi quem dirigiu toda a Conferência e ao final estava muito cansado, porém feliz. “Sinto que o objetivo foi cumprido. Para mim, o marco principal disso é o número de pessoas vindo e conversando interessados em missões, querendo se envolver oferecendo talentos e dons”, afirmou. O desejo é de que em 2015 possa acontecer a terceira edição do evento. “Vamos pensar em novos aspectos que precisamos falar e perceber as necessidades e as dúvidas que estão nas igrejas em termos de entendimento e treinamento. Espero que haja mais oportunidades das pessoas se envolverem”, disse.

É possível que o envolvimento aumente se o que foi entendido por Marcus Vinícius Vicente, 24, do Projeto 242, for colocado em prática. “Eu tinha receio de trazer coisas do mundo para a Igreja e hoje eu entendi que a gente é quem tem que ir para fora”, comentou antes de ir embora após o término da Conferência Steiger 2014.

Para participar do Treinamento Compacta e mergulhar nos temas missões urbanas, globalização, arte e secularismo é necessário se inscrever pelo site. O treinamento acontece de 19 a 30 de janeiro de 2015 com palestras, louvor, orações e práticas de evangelismo. As vagas são limitadas.

 

Karol Coelho, 23, jornalista

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.