UltJovem_02_09_13_Passos_sombras

Por Jeverton “Magrão” Ledo

A contagem dos dias é interessante. À medida que os anos se vão, você passa a ter uma perspectiva diferente de sua caminhada e da sua própria vida.

Tenho vivido dias que “tipo assim” “parece que sei lá”, e me perguntando: dias de sol romperão as densas nuvens e trarão novos sonhos? As janelas se abrirão para um novo recomeço?

Interessante pensar que muitos por aí jamais se permitiriam fazer tais questionamentos, afinal você ou esses tantos por aí poderiam me perguntar: “onde está sua fé”? Você não teve experiências suficientes em sua vida para ter a certeza que tudo isso é passageiro? E tantas outras perguntas… perguntas…

Podemos nos dar o direito de questionar, de querer enfiar a cabeça no travesseiro e esquecer o mundo lá fora? Ou será que nós, os discípulos, já alcançamos o “nirvana” espiritual?

Sentado aqui em meu escritório, cercado por meus quadrinhos, super-heróis pendurados na parede, lembranças e fotos da minha amada esposa e seu sorriso contagiante me permito, sim, escutando ao fundo o bom e velho “rock and roll” fazer esses questionamentos que me farão ressurgir das cinzas. Não como uma fênix, e sim com um ser humano que sou, dependente, incoerente às vezes, carente e cheio de conflitos.

Será muita ousadia minha te dizer: “permita-se viver uma vida real”. Em dias não tão bons, encontre seu lugar e chore, grite, pergunte, argumente, aumente o som e sinta seu coração bater, sua alma chorar e seus sentimentos aflorarem como em um grito de socorro.

Viva, sim, seu momento – ou cada momento – na perspectiva de que as coisas não estão e nunca estarão sob o seu controle (exceto o controle remoto do seu Exbox 360). Na medida que nos permitimos, nos conhecemos um pouco mais e nossas impressões vão tomando o formato correto dentro da perspectiva do divino. E, sim, as coisas e a sua própria vida passarão a fazer sentido para você.

 

________
Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e capelão escolar.

  1. Uma das coisas mais bacanas na vida em Cristo é essa liberdade de viver uma vida real. Chorar quando preciso, se arrepender, perdoar, recomeçar. Se deixar ser moldado por Deus e de tempos em tempos se lembrar de que nossa vida não está sob nosso controle.

  2. Tem dias que são muitos dias. Nós, como seres humanos, sempre vamos ter um cobertor para nos esconder, poderemos apagar a luz e chorar a noite inteira e amanhã inteira porque não conseguimos ver a misericórdia se renovando. E vamos nos cobrar porque deveríamos ser mais fortes que os outros, porque somos especiais (???) Mas não aceitamos justamente porque somos fracos, meu amigo Magrão? Deus escolhe a gente independente da nossa vulnerabilidade emocional, que afinal de contas é a doença dessa era. No fim das contas, a gente se levanta porque Deus é forte, Deus é bom, Deus é fiel.
    Não precisa acender a luz, nem sorrir falsamente quando quiser chorar. Deus vai fazer o que tiver que fazer.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.