Junto aos rios de Babilônia
Nós nos assentamos e choramos
com saudades de Sião.
Ali penduramos nossas harpas nos salgueiros
Ali nossos captores pediram canções alegres dizendo;
Cantem para nós uma das canções alegres de Sião!
Como poderíamos cantar as canções do Senhor em terras estrangeiras?
Que a minha mão direita de definhe; Oh Jerusalém! Se eu esquecer de ti.
E não considerar Jerusalém a minha maior alegria.
Salmo 137

Há tantas coisas acontecendo aqui!
O mundo oferece tantas coisas
A ciência faz transgênicos, clones
No mundo contemporâneo é tão fácil se divertir
Barzinhos, amigos, bebidas, risadas
Prazeres momentâneos
Quem poderá resistir?

Há tantas coisas acontecendo aqui!
Séculos se passaram, filosofias, deuses, mitos
Mudam-se governos, moedas, leis
Prédios foram construídos, navios, aviões, satélites
Territórios foram conquistados, reis coroados
Africanos suplicam
Quem se importará?

Há tantas coisas acontecendo aqui!
Temos foguetes, bomba nuclear, internet
O homem como centro de todas as coisas
O homem evolução, pós-moderno, cheio de si
Sempre ocupado, compras, aparência, aceitação
A tecnologia criadora
Quem poderá resistir?

Há tantas coisas acontecendo aqui
Ônibus, táxis, trem, metro
Não há mais tempo, e temos que nos apresar
Devemos aproveitar o tempo, e tempo é dinheiro
Temos que estudar, trabalhar, atender o celular
Uma criança faminta
Quem se importará?

Há tantas coisas acontecendo aqui!
Eu não sou daqui
Não quero ser levada por ilusão
Quero resistir
Quero me importar
Tenho saudades de Sião.
________

Ketelyn Sanchez Costa é brasileira, graduada em Letras/Português e mora em Curitiba (PR). Já foi missionária em Bali, na Indonésia, como professora de português

  1. Muito linda abordagem do texto, e realmente as vezes da vontade de estar em um lugar onde nunca fui, sinto saudades de um lugar que não conheci, mas aguardo ansiosa a chegada a este lugar.
    Deus abençoe!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.