// ESPECIAL VOCARE 2019

Por Luane Souto

 O olhar que temos sobre a criança define a proteção que daremos a ela.

Andréa Espírito Santo no Vocare 2019 durante oficina sobre prevenção ao abuso sexual infantil.

O abuso sexual infantil acontece em aproximadamente 80% dos lares no Brasil, segundo dados levantados pela Unicef – Fundo das Nações Unidas Para a Infância. É comum as crianças serem vítimas dentro da própria casa, pois, via de regra, a violência sexual acontece em lugares de confiança e, instituições religiosas não escapam desse índice. Segundo a missionária Andréa Espírito Santo, mesmo diante dessa realidade, as igrejas apresentam resistência para conversar sobre o problema.

O espaço seguro nas organizações foi justamente o tema da oficina ministrada por Andrea, nesta sexta-feira (21), durante o Vocare 2019. Tendo como foco instruir os participantes de como criar um ambiente preventivo por meio da cultura dos bons tratos, a oficineira explicou que o primeiro passo para ensinar a criança a reconhecer o abuso é apresentar o afeto sincero. Sabendo o que é bom, se reconhece o que é mau.

Entre dados, exemplos e dinâmicas foi apresentado um cenário preocupante que os discípulos de Cristo não podem ignorar. Segundo Andrea, as igrejas precisam entender que proteger a integridade das crianças também faz parte da missão. “O olhar que temos sobre a criança define a proteção que daremos a ela”. E lendo a Bíblia vemos que cuidar das crianças para viverem livres e felizes é uma necessidade antiga e profetizada: “E as ruas da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão” (Zacarias 8.5).

O fato é que para tratar de um assunto tão delicado como este é preciso preparo e sensibilidade. “Mesmo com treinamento, precisamos ter em mente a nossa dependência de Deus, buscar a verdade, justiça e respeitar o indivíduo”, salienta Andrea.

Ministério

Andrea é missionária há 14 anos. Esteve na Tailândia servindo com proteção à criança por quase três anos, e hoje coordena o Departamento Nacional de proteção à Criança e Adolescente da Mocidade Para Cristo (MPC) e trabalha na Proteção à Criança da Associação de Missões Transculturais Brasileiras (AMTB). A missionária também fundou o Espaço de Proteção, que tem a missão de compartilhar conhecimento, facilitar a aprendizagem e a prática da proteção à criança com ênfase em prevenção de abuso sexual infantil e maus-tratos. Atualmente, ela promove sensibilização sobre o tema em pelo menos 50 igrejas por ano entre outras organizações não religiosas.

***

Luane Souto é jornalista e voluntária na comunicação do movimento Vocare.


Leia mais: 

» “Pai Nosso” pelas crianças vítimas de abuso sexual

» Metodologia cristã que protege crianças contra abuso sexual completa 20 anos

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *