Quem é mais importante: o pai ou a mãe? Às vezes, pressionados pelo mercado, somos injustos com o que o pai representa na estrutura familiar. Basta olhar como o Dia das Mães é mais propalado que o Dia dos Pais. No entanto, cada um – tanto pai quanto a mãe – tem seu papel distinto e fundamental.

Uma das nossas colegas na Editora Ultimato, que é mãe, e não quis se identificar, escreveu uma oração de gratidão ao Pai pelos pais . Leia abaixo.

Pai nosso, hoje de forma especial queremos agradecer-lhe por nossos pais e pelos pais de nossos filhos. Muito obrigada, Pai, porque, ainda que eles não tenham 9 meses para se preparar nem hormônios para lhes comunicar a paternidade iminente, quando os filhos nascem, eles são capazes de assumi-la prontamente, de compartilhar conosco os primeiros cuidados. E ficam, como nós, abobados com a beleza dos primeiros anos.

Obrigada, Pai, porque, além de provisão, eles dispensam atenção aos filhos e permitem que suas mentes (culturalmente mais orientadas para o trabalho) se ocupem dos cuidados, da beleza e do dia a dia dos filhos. Eles são companheiros de seus filhos. Gastam tempo com eles, levando-os e trazendo-os, ajudando-os em suas tarefas, conversando sobre seus estudos e seu futuro, andando de bicicleta, jogando bola, indo à lanchonete, tocando com eles, acompanhando-os à igreja.

Agradeço-lhe porque eles são presentes na orientação dos filhos: na educação, na disciplina, na ampliação de horizontes, nas explicações (nem sempre rigorosamente certas) de como as coisas funcionam, na transmissão da aliança com Deus. Nós — mães — podemos até ser mais eficazes ao oferecer-lhes conforto, alimento ou ternura, mas são eles que em geral melhor lhes transmitem missão, identidade, visão de mundo.

Ainda que aparentemente distantes, com seu amor digno e por vezes contido, eles não são indiferentes. São os pais, ó Deus, com seu caráter, que imprimem nos filhos com mais força as marcas da responsabilidade e a necessidade de amadurecimento. Obrigada!

Ó Pai, agradecemos porque o Senhor usa a figura do pai para comunicar o seu caráter a nós. E, para garantir que este modelo fosse expresso de forma inequívoca, se fez pai de fato.

Em comum, nós — mães e pais — temos de agradecer-lhe pelos filhos. Sem eles não nos tornaríamos mães e pais: esta experiência tão forte, tão assustadora, tão transformadora, tão abençoadora! Obrigada porque ela nos traz para mais perto de ti. Conhecemos mais sobre o Pai porque somos pais e mães.

Obrigada porque o Senhor pensou a humanidade mulher e homem, ambos à sua imagem e semelhança, juntos gerando em amor, nutrindo, criando, estabelecendo outros seres completos e também capazes de amar, gerar e nutrir.

 

Leia mais
Pais santos, filhos nem tantos
Minha família pode ser feliz

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *