Por Jean Francesco

É difícil começar um texto com esse título sem antes mencionar que, se tratando de relacionamentos, cada caso é um caso. No fim das contas, ninguém está credenciado a dizer a hora exata em que um namoro deve começar ou terminar senão o próprio casal. Portanto, não leia esse texto como uma espécie de “receita de bolo”. Definitivamente não. Ao invés de dar uma receita, escrevo este texto como alguém que deixa pistas pelo caminho a fim de que você mesmo consiga trilhá-lo e decidir o que irá fazer com seu relacionamento. A pergunta é a seguinte: Qual seria a hora ideal de um namoro culminar em casamento?

Acredito que existem dois mitos que atualmente impedem muitos namorados de decidirem pelo casamento: a tão sonhada estabilidade financeira e o desejo pela casa própria. Alguns acreditam que o namoro só poderá transformar-se em casamento quando as finanças não forem mais um problema. Mas pense bem, quantas pessoas em nossa sociedade têm estabilidade financeira? Quanto tempo demora para chegar neste patamar? Quantos anos de namoro vamos precisar ter até alcançar este nível? Ou podemos nos perguntar algo ainda mais sensato: Existe, de fato, esse negócio chamado estabilidade financeira?

De acordo com a sabedoria bíblica, não devemos depositar nossa esperança na instabilidade da riqueza. Colocando de outra forma, não existe essa tal estabilidade financeira pelo simples fato de que a relação de ter ou não ter dinheiro é absolutamente incerta e variável (1 Timóteo 6.17-19). Ao invés de confiarmos em nossa capacidade de ganhar dinheiro, o apóstolo Paulo nos recomenda a confiar em Deus, o qual tudo nos proporciona de acordo com as nossas necessidades. Embora seja nosso dever trabalhar duro, fazer planos e procurar ter uma vida financeira saudável, depositar nossas esperanças em nós mesmos é um sinal de orgulho. Nossa única esperança de sustentabilidade está no amor, na bondade e nos cuidados do nosso Deus. Nosso futuro, embora possa e deva estar em nossas planilhas, está exclusivamente nas mãos do Todo-Poderoso. Podemos fazer planos, mas é Deus quem dá a última palavra (Tiago 4.13-15).

Está na moda ouvir também que, antes de casar, os noivos precisam comprar sua casa própria. Alguns argumentam que esse é um investimento excelente para os recém-casados. Mas… será mesmo? O consultor financeiro Gustavo Cerbasi discorda dessa ideia. Para ele, “a última prioridade dos recém-casados deve ser comprar um apartamento”. Ele dá um conselho valioso:

Eu acho que eles (jovens) necessariamente não devem comprar casa própria… Mais perto dos 40 anos, a renda é maior, você acumulou FGTS e pode entrar no financiamento para quitar o imóvel em 10 anos, ao invés de ficar 30 anos pagando. Meu convite é para os que jovens diminuam o gasto fixo, continuem aproveitando o que motivou o casamento, como romantismo, lazer, cuidado de um com o outro, e experimentem a vida para criar condições de ganho (Disponível aqui)

Eu tenho a impressão de que a maioria dos nossos pais se casaram em condições bem humildes no início e, somente após muitos anos de desenvolvimento pessoal, tiveram condições de adquirir uma casa própria. Não é um problema começar pequeno. Não é um problema construir juntos. Não podemos sonhar em começar um casamento partindo de onde os nossos pais estão hoje. Precisamos escrever a nossa própria história. A vida não começa pronta, casais inteligentes devem crescer juntos.

Longe da assombração da obrigatoriedade de estabilidade financeira e casa própria, nossa visão é a de que o namoro deve progredir para o casamento quando tiver bons alicerces. Existem pelo menos quatro coisas que devem estar bem alicerçadas: 1. Compromisso, 2. Independência paterna, 3. Desejo sexual, 4. Dependência de Deus.

  1. O alicerce do compromisso

Primeiro, o casal precisa refletir a respeito do compromisso que um tem em relação ao outro. Sonham juntos? Suas vidas convergem para o mesmo propósito? Seus planos contemplam a vontade das duas partes? Muito mais do que sentimentos, o amor é bem traduzido numa relação de pleno compromisso. Amar é decidir viver em aliança. Assim, o primeiro sinal de que o namoro já está na hora de virar casamento é o desejo de ambos somarem suas vidas numa só direção. É a vontade de viver a dois. Quando a responsabilidade é mútua, o senso de pertencimento é recíproco e você não consegue mais pensar na sua própria vida sem que outra pessoa esteja incluída no projeto, é um momento ideal de marcarem o dia de dizer “sim”.

  1. O mínimo de recursos necessários ou independência paterna

Em segundo lugar, está na hora de casar quando você percebe que pode caminhar com “as próprias pernas”, sem a ajuda de seus pais. Vocês conseguem viver sozinhos com o mínimo de maturidade financeira? Você tem um trabalho que te dê condições mínimas de sobrevivência? Boa notícia. Eu aconselho vocês a fazerem um diagnóstico de como lidam com dinheiro, trabalho, profissão etc. Conversem sobre dinheiro no namoro. Perguntas como: 1. Quanto precisamos para viver? 2. Qual é a nossa receita atual? 3. Como gastaremos nosso dinheiro? 4. Quem irá administrar os ganhos? 5. Que tipo de casamento (festa e cerimônia) está dentro do nosso orçamento? Se vocês têm respostas para essas perguntas, pensar na data do casamento é uma atitude muito sensata.

  1. O desejo sexual constante

Terceiro, outro indicativo de que está chegando a hora apropriada de casar é o desejo constante pela intimidade sexual. Sentir desejo sexual pela pessoa que você está namorando não é algo ruim, pelo contrário, é uma dádiva, um presente, uma benção de Deus. Porém, você pode jogar isso facilmente na lata do lixo se não tomar a atitude certa, no momento certo.

Planeje seu casamento: a data, o local, a cerimônia, o custo, o aluguel da casa, os móveis, carro, contas, plano de saúde, e peça ajuda aos seus amigos de confiança para caminharem ao seu lado, pois eles são indispensáveis. Isso vai exigir muita responsabilidade da sua parte, vai ter que suar a camisa o tempo todo, mas valerá muito a pena. É melhor casar com poucos recursos, numa casa simples e sem luxos, honrando a Deus com sua santidade, do que esperar para viver em condições melhores enquanto o pecado domina o seu namoro. Sim, é melhor ser um casal pobre e santo do que continuar um namoro impuro que idolatra o conforto. Deus honra aqueles que vivem em santidade e simplicidade.

  1. Dependência de Deus

Quarto, comprometam-se com a Palavra de Deus, disponham-se a viver em oração e em santidade. Ele irá sustentar vocês; sejam confiantes. Um casal que planeja o dia do compromisso para depois desfrutar o dia da intimidade, sem dúvidas, será muito abençoado por Deus. Quando começamos a namorar com o mínimo de maturidade espiritual, financeira, moral e social, dificilmente o casamento chegará atrasado. Tive o privilégio de celebrar o casamento de amigos que tinham apenas 1, 2, 3, 4 anos de namoro. Tive o privilégio de namorar dois anos, desfrutar um ano de noivado e casar. Não troco essa benção por nada. Casar vale muito a pena!

Você não precisa e nem deve viver a vida de casado no namoro. Planeje-se para curtir a vida de casado, casado. Seu namoro pode ser um bom ensaio para o casamento ou um total desastre. Por isso, concordo com um grande amigo que diz: “Namoro bom sempre dá em duas coisas: Casamento ou em separação”. Colocando a ironia de lado, em outras palavras, quando o namoro é bom, sempre vai dar em casamento, já quando o namoro não anseia chegar ao casamento, precisa ser desmanchado antes de virar uma bola de neve.

Finalmente, eu acredito que as quatro pistas acima são sinais suficientes para você tomar uma decisão sábia. Minha esposa e eu seguimos esses passos. E eu te garanto: o casamento é uma das melhores formas de diversão da juventude que Deus poderia ter planejado. A sabedoria bíblica ensina que curtir a vida como jovem, entre outras coisas, se dá através do casamento. Casei com meus vinte e poucos anos e não tenho do que me arrepender, fiz a melhor escolha de minha vida.

  1. Lilian Maria Lobo da Silva

    Graça e paz !

    Gostei muito do texto e estou pensando em usar esse texto para ajudar casais e noivos na igreja que congrego.
    Muito edificante !
    Louvado seja Deus !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>