Por Jean Francesco

Começar um namoro não é uma decisão simples. Para iniciar um namoro cristão é preciso ter em mente com clareza o que é um relacionamento à luz das Escrituras, seu propósito último e os critérios mínimos que devemos buscar em nós mesmos e em nosso futuro par. Escrevo este texto para ajudar você — que provavelmente se encontra nesta fase da vida — a decidir com sabedoria quando e como é hora de começar um namoro.

Obviamente, muita gente tem opiniões diferentes sobre quando se deve começar o namoro. Movidos pelo espírito hedonista da nossa cultura, alguns acreditam que o ponto de partida para iniciar um relacionamento é simplesmente a “vontade de começar”. Nessa perspectiva, a carência, os desejos e os sentimentos são os sinais que mostram quando é a melhor hora para começar a namorar. Vários jargões do tipo “siga a voz do coração”, “faça aquilo que você quer”, “tenha liberdade”, e “entregue-se nos braços da paixão” estão aí para dizer que, no fundo, o importante é você se sentir bem, apesar dos apesares.

Por outro lado, como cristãos, nossa opinião é bem diferente disso. Ela está um pouco deixada para escanteio ultimamente, mas continua viva: Namore quando tiver um pouco de maturidade. Se você é adolescente, com certeza sentiu um aperto no coração ao ler isso! O critério mais sábio para iniciar o namoro não é o sentimento ou a vontade, é o princípio da maturidade. Não resta dúvidas de que a questão da idade é relativa. Dependendo da cultura, as coisas mudam bastante. Maria, mãe de Jesus, por exemplo, casou-se com José quando tinha cerca de 16 ou 17 anos. Isso significa que ela iniciou seu relacionamento pré-marital sendo uma adolescente.

No entanto, na época de José e Maria, os noivados eram arranjados entre os clãs até o momento do casamento. Não existia namoro. Isso perdurou por milênios. Minha avó, por exemplo, casou-se com 14 anos, pois meu avô prometeu ao seu pai cuidar dela como se fosse sua própria filha. Eles viveram juntos por mais de 50 anos. Será que podemos comparar aqueles “adolescentes” com os “adolescentes” de hoje? São diferenças radicais.

Mas vamos ao que interessa: Como podemos saber se temos maturidade suficiente para iniciar um relacionamento com alguém? Sugiro alguns itens essenciais:

  1. Satisfação pessoal

Em primeiro lugar, tem muita gente que deseja namorar para se tornar feliz. Será que na prática isso dá resultados? Na perspectiva cristã, isso simplesmente não funciona. Não namoramos para ficarmos felizes, namoramos para compartilharmos a felicidade que já possuímos. Nós, cristãos, sabemos que a felicidade e realização do nosso ser estão em Deus. A menos que já tenhamos descoberto o amor de Deus, revelado na pessoa de Jesus, nenhum outro amor dará conta de nos fazer felizes.

Não coloque sobre as pessoas expectativas que somente Deus é capaz de suprir. O contentamento, por exemplo, é um presente que apenas Deus é capaz de oferecer, portanto, cada vez que colocamos a nossa esperança de sermos satisfeitos em uma relação amorosa, estamos, na verdade, procurando nos seres humanos aquilo que só podemos alcançar no divino. Enquanto você não alcançar algum contentamento em sua dimensão pessoal, não valerá a pena se envolver em qualquer relacionamento amoroso.

Meu conselho é: procure amadurecer em sua vida espiritual, pois se você não possui uma espiritualidade sadia antes de namorar, provavelmente não irá desenvolvê-la em um namoro. Não é impossível, mas é bem menos provável.

  1. Engajamento profissional

Em segundo lugar, você trabalha ou tem alguma renda? A pessoa que deseja namorar e se casar precisa ser alguém financeiramente responsável. Eu não aconselho que você inicie um namoro antes de ganhar seu próprio dinheiro — mesmo que seja bem pouco. A lógica desse raciocínio é plenamente bíblica. Na criação, por exemplo, Deus instituiu o casamento após instituir o trabalho. Adão tinha pelo menos três profissões antes de encontrar sua querida Eva: 1. Administrador do jardim; 2. Agricultor; 3. Biólogo (sendo um taxonomista por excelência, dando nome aos animais). Sim, a primeira coisa que Deus criou após ter criado o homem não foi a mulher, foi o trabalho. Portanto, antes de qualquer homem tocar em mulher, precisa primeiro pôr as mãos no arado e trabalhar. Salomão é bem claro ao dizer: “Cuida dos teus negócios lá fora, apronta a lavoura no campo e, depois, edifica a tua casa” (Provérbios 24.27).

Uma observação importante. Não acredito que todos os casais que começam a namorar antes de trabalhar estão necessariamente em pecado. Há casos e casos. Em alguns deles, isso seria realmente uma tolice, principalmente quando são adolescentes imaturos. Há também alguns jovens que namoram enquanto fazem faculdade em tempo integral e não podem fazer outra coisa a não ser estudar. Cada caso é um caso. De forma geral, o que as Escrituras tentam nos ensinar a esse respeito é que “responsabilidade precede relacionamentos”. Sendo assim, iniciar um namoro com uma pessoa que não é responsável, não faz planos para o futuro ou não se preocupa em prover os recursos para sua namorada e, em breve, futura esposa (e vice-versa) é não apenas uma atitude anti-bíblica, também é inconsequente.

  1. Valores e sonhos

Em terceiro lugar, quais são os seus valores de vida? Quais são também os teus sonhos pessoais? Todo ser humano precisa desenvolver seus valores de vida. Todo ser humano precisa ansiar por chegar em algum lugar. Antes de iniciar um namoro, você precisa ter convicções firmes sobre seus próprios valores e sonhos. Namoro é um tempo de preparação para o casamento. É o ambiente ideal para longas conversas, sobre todas as áreas da vida. É a hora de conhecer o que o outro pensa sobre verdade, família, religião, moralidade, honestidade, sonhos, trabalho, carreira, estudos, generosidade e respeito. Aproveite o seu estado de solteiro para pensar sobre essas coisas. Sem dúvidas, isso o ajudará muito no processo de encontrar seu par, iniciar o namoro, noivar e casar.

Passos práticos

Uma vez que os critérios acima forem respeitados, é hora de tomar atitude. Como começar um namoro cristão… na prática? Sugiro algumas ações bem concretas:

  • Ore e peça alguém especial a Deus (Provérbios 18.22, 19.14);
  • Seja um observador atento e escolha alguém que se encaixe naquilo que você está procurando;
  • Converse com essa pessoa e marquem um encontro;
  • Se tudo estiver correndo bem, não hesite em conhecer a família da pessoa, pedir a aprovação e benção dos pais;
  • Se tudo deu certo até agora, falta uma coisa: Peça a pessoa em namoro e deixe claro desde o início que seu objetivo no relacionamento não é passar tempo, mas entrar num ensaio até o casamento.

Para terminar, é sempre bom lembrar o essencial: namoro não é pegar alguém emprestado, é um vestibular para ter alguém para sempre. Namoro não existe para beijar e dizer tchau no dia seguinte. No namoro, ensaiamos um beijo porque pretendemos beijar para sempre. O namoro não é um fim em si mesmo, não devemos namorar por namorar, namoramos para casar. O fim principal do namoro é ensaiar bem todos os passos da dança até entendermos que estamos prontos para dançar com o nosso par para a vida toda.

  1. Sábios conselhos! Graças a Deus tivemos a oportunidade de desfrutar de um namoro enraizado nesses princípios e fomos agraciados! Namoro é coisa séria, não o desperte antes da hora, mas prepare o seu jardim até lá. Beijão, meu amor, você é homem de Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>