Por Jean Francesco

No mês de setembro a primavera retorna para trazer vida e beleza à terra. Sabemos que esta estação do ano representa a renovação da criação, de sua beleza e da vitória contra o inverno. É uma estação pedagógica para todos nós. Embora aqui na cidade de São Paulo não percebamos tanto o inverno e o outono – parece que sempre faz calor -, a primavera é notória. Você tem dúvida do quanto Deus pode nos ensinar através dos ciclos naturais da criação? Vejamos algumas coisas:

(1) A primavera é uma ilustração da vida. Flores têm tudo a ver com nossa vida. São obras de arte do Criador. As flores e a vida podem ter perfumes diversos. Mas às vezes as folhas murcham, secam e morrem — na vida de muitos também. A vida pode queimar no verão, vai caindo pouco a pouco no outono, até congelar de frio no inverno. Infelizmente algumas desistem por aqui. Contudo, as que continuam suportando o frio dessa estação serão as únicas que verão as flores renascerem quando a primavera chegar mais uma vez.

Quem continua seguindo a vida com firmeza apesar das estações contrárias sempre verá florescer muitas primaveras em seu jardim. Esse é o meu desejo para você. Que apesar de tudo o que você já viveu, esse tempo seja o momento de você renascer e experimentar mais beleza, perfume e leveza.

(2) A primavera é uma ilustração do evangelho. A mensagem essencial da fé cristã são as boas novas. Que mensagem é esta? Não é apenas “Jesus te ama” ou “Deus tem um plano para a sua vida”. O evangelho é a verdadeira história que o mundo precisa ouvir, é o plano de Deus para restaurar toda a criação perdida. Isso tem tudo a ver com primavera, pois restauração, renovação e florescimento são elementos essenciais dessa estação.

Deus nos criou para vivermos numa primavera eterna. Ele fez um jardim e nos deu todas as árvores, plantas e animais para cuidar. Deus criou o mundo e entregou sua administração ao ser humano. Porém, numa atitude de rebeldia, o ser humano arrancou suas raízes do Criador e decidiu subvertê-lo. A obra prima se voltou contra o Artista; a criatura se insurgiu contra o Criador. Por isso a vida humana deixou de ser primavera e passou a ser um inverno implacável, sem cor, e pior, mortal. Mas Deus, desde sempre, desejava restaurar sua criação murcha e morta, então enviou a Flor mais bela que tinha consigo para perfumar o nosso inverno cruel: Jesus é a primavera de Deus; Jesus é a nossa primavera. 

Por causa dele, nossos invernos ficaram para trás e hoje experimentamos o perfume da vida. Contudo o preço foi caro, Jesus precisou murchar para que nós pudéssemos florescer, ele precisou morrer para que nós pudéssemos renascer. Por causa de Jesus, vencemos a morte “invernal” que congelava nosso coração. Que através da primavera Deus relembre sua troca de estações: você estava morto, mas reviveu.

(3) A primavera é uma ilustração do futuro. A restauração não terminou ainda. A Flor que Deus enviou para renovar a criação ressuscitou, ele floresceu! É isso que nos dá esperança para o futuro. Temos a certeza de que o novo mundo de Deus está só começando, ele está restaurando a humanidade que havia murchado e ainda irá renovar toda a criação que hoje experimenta terremotos, secas, poluição, erosão, escassez, enchentes, tsunamis e queimadas. Deus promete que um dia haverá novos céus e nova terra (Ap. 21.1). Esse novo céu e nova terra não é outro lugar distante, é a nossa velha terra restaurada; não é outro mundo, é o mesmo mundo que saiu do inverno mortal e abriu-se para a primavera divina. Jesus fará isso em breve. Entregue-se a ele, abandone a sua vida sem cor e participe desta maravilhosa esperança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>