Por Rafaela Senfft

Lemos a Bíblia todos os dias, mas o conteúdo é incutido em nós por Deus quando perseveramos em buscá-lo. O aprendizado e a relação estreita com o Espírito Santo vai nos conformando à palavra do Senhor, até que aqueles versos deixam de ser algo poético e passem a ser vividos.  Quantas vezes lemos os mesmos versículos, repetidamente, mas um dia eles fazem um sentido diferente e entendemos como nunca, numa perspectiva completamente pessoal? Como é viva e preciosa a palavra de Deus!

“Somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” 2 Co 3:18

Estou num ponto do aprendizado com Deus de não confiar em meus sentimentos, e nunca imaginei que fosse uma luta tão travada. Tenho pensado em como nossos sentimentos solicitam energia, no tanto que nos ocupam e exigem do nosso tempo. Mas as solicitações dos sentimentos vão muito além.

Vivemos num tempo em que os sentimentos têm mandado no homem, nos tornamos reféns deles. Queremos nos sentir confortáveis, amados e compreendidos e estamos sempre defendendo qualquer causa, a todo custo, para que as coisas cooperem e atendam nossa demanda de conforto e bem-estar emocional. Mas na Bíblia não há vários alertas quanto ao que sentimos e pensamos?

“Quem confia em si mesmo é insensato, mas quem anda segundo a sabedoria não corre perigo” Pv 28:26

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” Jr 17:9

Devemos raciocinar que nossos sentimentos fazem parte do nosso eu, da nossa carne, e essa está fadada ao fracasso e prejudicada pela queda, portando não é confiável. Aprendemos também pela palavra que o único ser confiável é Deus, e que quando nos convertemos passamos a crer nisso sobre todas as coisas. Só que fazemos o contrário, pois estamos confiando mais na carne que em Deus quando queremos adequar tudo à nossa maneira para ficarmos emocionalmente confortáveis.

Hoje não aguentamos mais uma oposição pessoal, ficamos emocionalmente instáveis por qualquer motivo, queremos ser reconhecidos de qualquer forma em nome do bem-estar e com isso negociamos valores inegociáveis.

Estamos carregando nosso ressentimento do passado conosco e tentando adequar a fé cristã a ele. Precisamos parar de alimentar nossa carne e não nos deixar curvar aos sentimentos. Isso é algo tão serio que não deve ter sido à toa que Jesus tratou certas questões com tanta radicalidade. Nos nossos tempos essa pode parecer uma mensagem  pesada demais, mas vamos nos lembrar que Jesus não economizou na metáfora e não usou eufemismos para falar sobre essas questões da carne:

“Se a sua mão ou o seu pé o fizerem tropeçar, corte-os e jogue-os fora. É melhor entrar na vida mutilado ou aleijado do que, tendo as duas mãos ou os dois pés, ser lançado no fogo eterno. E se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. É melhor entrar na vida com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no fogo do inferno” – Mt 18:8,9

Vivemos tempos em que estamos ficando fracos, pois sempre queremos nos preservar demais, nos incomodamos demais com a maneira como nos sentimos, com nosso lugar ao sol deste mundo, enquanto Jesus propõe que sigamos adiante, matando a carne diariamente e ficando até sem um olho ou sem perna para isso, se preciso for.

Podemos tomar uma decisão todas as manhãs, de não confiar em nossos sentimentos, deixar nossas solicitações de lado, parar de alimentar nosso eu e confiar na palavra de Deus, pedir ao Espírito Santo que solte um acervo de versículos em nossa memória, e que nossos sentimentos, mais tarde, que se adequem à verdade da palavra e não ao contrário.

Tenho aprendido a acordar e tomar a decisão de confiar no que a Bíblia diz mesmo que eu me sinta péssima, mesmo que eu acorde deprimida e ressentida. Tenho lembrado todas as manhãs de Hebreus 13:5, que diz “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”.

Ainda que tudo pareça ao contrário, ainda que me seja difícil crer, ainda que minha fé pareça ter esvanecido, Deus nos deixou a Bíblia, e Sua palavra é mais confiável do que qualquer coisa que eu sinta, bem como todas as circunstâncias. Pois não andamos por vista!

“Pois vivemos por fé e não pelo que nos é possível ver. Sendo assim, caminhamos em confiança” 2 Co 7,8

  • Rafaela Senfft é artista plástica formada pela Escola Guignard/UEMG, onde é professora de História da Arte Ocidental no curso de extensão. É membro de CIVA (Christian in Visual Arts) e congrega na Igreja Esperança, em BH.
  1. O ponto aqui é “Esvaziar-se” assim como Jesus, e assumir a forma de servo. No termo correto “escravo” um servo totalmente submisso ao seu Senhor. Onde essa submissão engloba toda sua vida , inclusive seus pensamentos e emoções. Mas ai é que está o problema. Esse é um passo que muitas vezes não queremos dar.

  2. Rafaela, que texto animador! Eu espero que vc leia esse comentário, já faz alguns anos que tenho lutado contra meus sentimentos e tentado ter essa posição de fé e confiança diante da palavra de Deus. E as vezes eu tenho a impressão que quando a gente consegue ter um êxito, facilmente a gente pode cair. Hoje seu texto foi o ânimo que eu precisava pra me fazer olhar as coisas por fé e não por sentimento.

    • Oi Marilia, que bom que as palavras desse texto te animaram! Vc disse algo que eu também sinto : ” as vezes eu tenho a impressão que quando a gente consegue ter um êxito, facilmente a gente pode cair.” Eu também tenho essa impressão. Sempre iremos ter os sentimentos querendo espaço na nossa vida, mas o caminho é assim: a gente cai, levanta, cai e Deus sempre nos levanta e sustenta pelo caminho. O importante é sempre buscar ser sincero com Deus em nossas orações !

  3. GERALDO GILTON DE SOUZA

    GRAÇAS AO DEUS VIVO JESUS DE NAZARÉ, ESSA REFLEXÃO FALOU PROFUNDAMENTE AO MEU CORAÇÃO, POR ISSO LOUVADO SEJA DEUS HOJE E SEMPRE. DEUS ME AJUDE PARA QUE EU VENHA SER LIBERTO DO EUGOÍSMO. EU TE PEÇO EM NOME DE JESUS AMÉM.

  4. GERALDO GILTON DE SOUZA

    SENHORA RAFAELA SENFFT, QUE DEUS TE ABENÇOE PODEROSAMENTE EM NOME DE JESUS. QUE O SANGUE DO CORDEIRO ESTEJA BLINDANDO TEU CASAMENTO E FILHOS E TODA FAMÍLIA, E SEU MINISTÉRIO HOJE E SEMPRE. ESSA SUA REFLEXÃO VEIO DIRETO DO AMAGO DO TEU CORAÇÃO. PEÇO SUAS ORAÇÃO POIS SOU CASADO HÁ 37 ANOS, E AS VEZES EU QUERO SAIR DO SÉRIO,E PARTIR PARA UMA DISCUSSÃO PESADA, POIS SÓ DEUS PARA ME LIBERTAR, AGRADEÇO PELA SUA ATENÇÃO.

  5. Muito bom o texto. Na verdade, vivemos uma realidade muito indivualista, na qual não há espaço para uma reflexão voltada para uma vida sadia. O que de fato se tem visto é uma troca de valores, e isso, é prejudicial ao relacionamento do ser humano.

  6. “Devemos raciocinar que nossos sentimentos fazem parte do nosso eu, da nossa carne, e essa está fadada ao fracasso e prejudicada pela queda, portando não é confiável.”
    Mas a razão também não é parte do nosso eu? Se for, o argumento é válido para ela também. Como saber se nossa razão é confiável? Na verdade, muitas vezes penso que o funcionamento do raciocínio pode não ter sido afetado (lógica) mas nosso aparato perceptivo claramente foi (nosso estado epistêmico)…

    • Concordo. Nossa mente foi corrompida com o pecado e isso afeta nossa maneira de pensar, principalmente se não estivermos próximos de Deus.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *