Ult_Jovem_19_08_16_sente_se_aqui2Por Amanda Almeida

Os olhos do Senhor estão por toda parte. Ele sabe dos nossos sonhos e desejos, de tudo o que está no nosso coração. Ele sabe das nossas ideias, da nossa criatividade, da arte que produzimos. Mesmo que ela fique só entre nós e ele. Mas até quando nossa arte vai ficar na gaveta?

É fácil ser paralisado pelo medo. “Medo de me expor demais e das pessoas não compreenderem a mensagem que eu tinha a passar”, como conta Juliana Joyce, de 24 anos. Mas aos poucos, a vontade de compartilhar o que florescia dentro dela foi maior, e, com o incentivo de pessoas que a encorajaram, passou a publicar as poesias visuais na página Sente-se Aqui.

Estudante de Terapia Ocupacional na UFMG, ela vem se dedicando a aprimorar suas técnicas para expor seus pensamentos e versos. Nesse processo, a internet é sua fiel aliada. “Ela não só me ajuda na divulgação do trabalho como também faz com que eu tenha ferramentas para aperfeiçoar o que faço. Além de tornar o conteúdo acessível para pessoas que eu talvez jamais conhecesse pessoalmente”, diz Juliana.

Mas nem tudo são flores nesse mundo virtual.  Apesar de o fácil acesso ser um ponto forte na exposição do que é produzido, pode também contribuir para que as pessoas “acabem consumindo apenas quando o conteúdo é gratuito, e façam encomendas sem querer pagar pelo produto”, conta a estudante, apontando que essa acessibilidade pode fazer com que o trabalho não seja reconhecido.

Ult_Jovem_19_08_16_juliana_joyceMesmo com alguns percalços, ela não se arrepende de ter deixado o medo de lado e começado a mostrar seu lado artístico. O retorno de leitores e amigos fez com que ela mesma visse as várias dimensões da arte de uma forma diferente. “Quando me descobri em versos, comecei a valorizar mais os autores brasileiros e os artistas de rua, e a consumir mais arte nacional. Vi o impacto social através da simplicidade dos versos de muitos autores independentes que acompanho”, relata.

Se nossa fé influencia tudo o que fazemos, como cristã, Juliana diz que tudo que produz é para a glória de Deus. “A beleza de Deus está na poesia, nas canções e em tudo que há de belo ao nosso redor. Não tenho a menor dúvida de que toda inspiração vem dEle. Aceitemos ou não, criamos porque Ele criou primeiro”.

Ult_Jovem_19_08_16_sente_se_aqui1Juliana ainda deseja publicar um livro de poesia visual e através disso inspirar os leitores a usarem suas habilidades a favor do reino de Deus. “Tenho experimentado coisas lindas através da poesia e das artes visuais. E quero muito que as pessoas se encontrem naquilo que Ele quer”, afirma, concluindo que nunca pensou que “a poesia pudesse ser um instrumento tão fantástico para desfrutar de um relacionamento íntimo com Deus”.

E todo esse percurso só começou depois de desistir do medo e das ressalvas e decidir tirar os versos da gaveta. Se você ainda tem algum receio quanto a isso, aqui vai um incentivo: tire você também sua arte da gaveta! Tire seus versos, suas músicas, esculturas, telas, roteiros e toda sua arte da gaveta, ou até só da cabeça. Deixe que ela impacte, transforme e edifique outras pessoas. Antes de qualquer uma delas, a mais edificada deve ser você.

• Amanda Almeida tem 23 anos e é recém-formada em Comunicação Social pela UFMG. Sua monografia tratou de jornalismo cultural, arte e cristianismo. Amanda escreve para o blog Ultimato Jovem sobre cinema.

  1. É um lindo trabalho que não poderia nunca ficar engavetado. A Ju Joice é uma profissional capacitada por Deus. Obrigado pelos versos tão lindos e pelas artes que deixam tudo mais belo.
    Parabéns!!!

  2. Que benção. Deus continue abençoando a todos vocês.
    Gostei muito do artigo. Vi uma postagem em uma página do facebook e procurei até achar a página dos versos e gostei muito.
    Sou artesã também, trabalho com linhas e agulhas. E estou começando a divulgar meu trabalho também, é bem desafiador.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>