A transmissão da fé genuína de pai para filho é uma das maiores bênçãos da vida.

As histórias que ouvimos do nosso pai, os conselhos que aprendemos no colo da nossa mãe. Não vamos guardar isso para nós: vamos passá-lo para a próxima geração – a fama e a força do Eterno, as coisas maravilhosas que ele fez. (Sl 78.3-4)

Deus se apresenta a Moisés não como um Deus desconhecido, mas como o Deus da sua família: “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó” (Êx 3.6). Como Moisés, todos os hebreus que viviam no Egito na época do êxodo eram trinetos e tetranetos de Jacó e tinham o mesmo patrimônio religioso e a mesma vocação.

Entre a lembrança mais remota – a chamada de Abraão – e a lembrança mais próxima – o aparecimento de Deus a Moisés no monte Horebe –, havia muitas outras lembranças extraordinárias: o salvamento de Moisés; a vinda de Jacó e dos seus filhos para o Egito; a projeção de José no Egito; a reconciliação de Esaú e Jacó; as experiências de Jacó em Peniel e em Betel; a cura da esterilidade de Raquel e de Rebeca; o casamento de Isaque; a experiência de Abraão com Isaque no monte Moriá; a cura da esterilidade de Sara; a destruição de Sodoma e Gomorra e a instituição da circuncisão.

Esse patrimônio histórico, que não tem como omitir a pessoa e a atuação de Deus, sustentou a fé dos chamados filhos de Israel (Jacó). Naturalmente, o povo absorveu também outros costumes e influências impróprios para a sua fé. Mas a tradição religiosa e o temor do Senhor foram mantidos. As parteiras hebreias arriscaram suas vidas, praticando a desobediência civil porque eram tementes a Deus (Êx 1.15-21). Moisés, antes da experiência do monte Horebe, preferiu ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado (Hb 11.24-27). E o povo, enquanto gemia sob a servidão, pôs-se a clamar ao Senhor e Deus ouviu o seu clamor (Êx 2.23-25). A transmissão da fé genuína de pai para filho é uma das maiores bênçãos da vida.

Texto originalmente publicado no devocionário Cuide das Raízes, Espere pelos Frutos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>