Por Daniela Xavier*

O mesmo Deus que nos chama, cria os meios para que Sua vontade seja feita. A soberania dEle é sábia! Confiando nestas verdades, ingressei no curso de Gastronomia em 2013, em São Paulo. Eu e meu esposo já estávamos em missões há vários anos, mas entendemos que era momento de avançar e nos reinventar, pois tínhamos como alvo servir como obreiros entre povos budistas, no Sudeste Asiático. Assim, começou uma revolução em minha vida.

Chegamos na Tailândia em 2016 e então fomos pesquisar o perfil de alguns ministérios para sermos voluntários. Encontramos uma fundação tailandesa de restauração e desenvolvimento comunitário que, em parceria com uma ONG americana, montou um projeto de resgate de mulheres e adolescentes cooptadas pela prostituição em bares e boates de Bangkok. O projeto também trabalha com mulheres em situação de alta vulnerabilidade social que foram, por diferentes motivos, abandonadas por seus cônjuges e ficaram sozinhas para criar seus filhos.

Uma equipe de obreiros vai até as comunidades carentes, ruas, bares e outros pontos estratégicos abordar essas mulheres e desenvolver amizades, compartilhando o evangelho da salvação. E, às que respondem ao desafio da transformação pelo Espírito, a ONG ajuda a deixar a vida de pecado para serem empregadas e mudarem para a região de On Nut, onde funciona o projeto. Aqui, no subúrbio da zona sul de Bangkok, elas passam por um processo de aconselhamento, discipulado, reabilitação emocional e espiritual, para, enfim, serem profissionalizadas.

Assim, um restaurante escola foi montado para essa finalidade: profissionalizar mulheres em vulnerabilidade social a fim de conduzi-las ao empreendedorismo e ao mercado de trabalho de forma digna. A experiência de ver a conversão na vida dessas mulheres é fantástica. Todavia, o processo é muito lento e o crescimento na fé também. Vale lembrar que a Tailândia é percentualmente um dos países mais budistas do mundo. E todas essas meninas são as primeiras convertidas de uma geração familiar budista sincrética, ou seja, budista em termos de religião oficial e nacional, que coaduna com práticas animistas clássicas e crenças tribais.

Hoje, eu estou à frente do restaurante escola – Connect Kitchen. Aos poucos, estamos migrando para ser um serviço de catering e, ao mesmo tempo que as meninas estão na produção de pães, bolos, cookies, pasta de amendoim, geleia e outros, também podem atuar como vendedoras e ter participação nos lucros. A ideia é que, mais do que uma fábrica de pães, sejamos uma fábrica de sonhos e superações, no poder gracioso de Jesus Cristo: o pão da vida.

 

* Daniela Xavier é formada em Gastronomia pela Hotec São Paulo, casada com Saulo Xavier e mãe da Laura e Helena. É parte da Missão Kairós e por muitos anos serviu como missionária e cooperadora com organizações como Perspectivas Brasil, MPC, ABU e Jovens Com Uma Missão.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>