Por Jota

Foi a partir do meu desejo de conhecer mais sobre a vontade de Deus que minha vida tomou novo rumo. “O centro da vontade de Deus” é uma expressão muito utilizada hoje em dia. Todos dizem que não existe lugar melhor para estar do que “o centro da vontade de Deus”. Mas afinal, onde fica isso? Qual o caminho para se chegar lá? Tem algum atalho? Consigo chegar nesse lugar ainda vivo?

Quando Deus me chamou para o ministério fiquei meio sem rumo. Estava no meio da faculdade de engenharia elétrica e acreditava que estava “no centro da vontade de Deus”, pois tinha paz no meu coração em relação ao curso que estava fazendo. Gostava, me dava bem nas matérias e tudo ia muito bem. Mas o Senhor me incomodou e me disse claramente que a alegria que sentiria vendo a finalização de uma usina hidroelétrica (naquela época ainda não estagiava na empresa que construía Usinas Hidroelétricas) nunca se compararia àquela alegria que estava sentindo (quando vi a conversão de um amigo meu) – “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lucas 15.7).

A partir de então, comecei a tentar entender a vontade de Deus e a buscá-lo. Foi um tempo gostoso; comecei a ler mais a Bíblia e buscar mais a Deus. Tomei gosto pela leitura. O primeiro livro que li foi O mistério da vontade de Deus, de Charles Swindoll. Acreditava que ao terminar de lê-lo eu teria uma resposta sobre para onde ir ou o que fazer, mas não aconteceu.

Li muito a Bíblia nesse período, e também orei bastante. Mas não encontrava resposta e esta busca parecia um pouco vazia e sem sentido. Percebi que a intenção do meu coração era ter uma resposta, porque não conseguia viver com ansiedade de não saber o que Deus queria de mim e o que ele faria da minha vida.

A maneira como me achegava a Deus era algo do tipo:

— Deus para onde eu vou?

E ele me dizia:

— Vamos por aqui e…

Antes de ele terminar de dar as instruções já seguia o meu caminho, sozinho, até que dava com a cara no muro. Então voltava para Deus de novo e perguntava já meio bravo:

— O Senhor não disse que era por aqui?

— Disse, mas você me interrompeu no meio da conversa! Era para a gente ir junto e a gente tinha que ter virado à esquerda umas três quadras atrás.

Foi então que entendi que o “centro da vontade de Deus” não é um lugar a se chegar, mas um caminho a ser percorrido. Um caminho a ser percorrido com ele. Percebi que Ele não me dava todas as respostas de uma vez para que assim eu ficasse sempre próximo dele para perguntar sobre o próximo passo e manter um relacionamento constante e permitir que nossa intimidade crescesse.

Muitas vezes este caminho está escuro e não conseguimos enxergar onde dar o próximo passo. E devemos entender que é assim a vida de quem é nascido do Espírito: “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito” (João 3.8).

Pode ser que nesse caminho existam obstáculos. Mas temos a certeza que ele estará conosco. E realmente não existe lugar melhor para se estar do que “no caminho da vontade de Deus”.

Que o nosso Deus nos ajude a ter uma vida de devoção constante e fiel!

 

• Jota (pseudônimo, por razões de segurança) é casado com K. e é pai de D. e M. O casal dedica-se integralmente à obra há 10 anos. Serviram no interior de São Paulo, Timor-Leste e, desde 2015, no Sudeste asiático.

 

Leia mais: 
» Um chamado, um caminho, uma vida…
» Mas os planos de Deus são outros

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *