A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável ocorrerá no Rio de Janeiro de 20 a 22 de junho, quando se completam duas décadas da Rio ou Eco 92. Por isto, a Conferência é conhecida como Rio+20.

O objetivo da Conferência é “assegurar um comprometimento político renovado com o desenvolvimento sustentável, avaliar o progresso feito até o momento (…) além de abordar os novos desafios emergentes”. Os temas da Rio+20 são a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza, e o quadro institucional para o desenvolvimento sustentável.

A Rio+20 é um processo intergovernamental dirigido pelos Estados-Membros das Nações Unidas e Grupos Principais (ou Major Groups, formados por nove categorias principais, através das quais cidadãos podem participar de atividades da ONU). Na página de Major Groups há informações sobre como estes grupos estão se mobilizando e como os cidadãos podem participar (como exemplo, esta plataforma de mobilização de crianças e jovens brasileiros para a Rio+20).

Antes e durante a Conferência oficial, ocorrerá a Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental, evento organizado pela sociedade civil global, entre os dias 15 e 23 de junho no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro.

A Cúpula dos Povos pretende “transformar o momento da Rio+20 numa oportunidade para tratar dos graves problemas enfrentados pela humanidade e demonstrar a força política dos povos organizados. ‘Venha reinventar o mundo’ é o chamado e o convite à participação para as organizações e movimentos sociais do Brasil e do mundo”.

 

Mobilização Evangélica para a Rio+20: formando um “coletivo”!

Nos dias 28, 29 e 30 de novembro de 2011, a Tearfund Brasil se reuniu com organizações parceiras para iniciar o processo de mobilização e participação da igreja evangélica na Rio+20. O objetivo principal deste “coletivo” é informar e envolver a igreja nas discussões socioambientais.

E este processo de informação e envolvimento compreende o período anterior a Rio+20 (janeiro a junho) e também após, por meio de materiais informativos e atividades. Os temas que nortearão todo o planejamento/execução da mobilização serão: pobreza; água; modelo econômico e consumismo; mudanças climáticas e desastres; segurança e soberania alimentar; cidades (mobilidade).

As organizações que participaram deste processo inicial foram Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB), ACEV Social, Aliança Evangélica Brasileira, A Rocha Brasil, Asas de Socorro, Diaconia, Evangélicos pela Justiça, Igreja Batista da Liberdade (SP), CLAI, Rede Fale, Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) e Visão Mundial. Instituto Marina Silva, Ultimato e Missão Base não puderam enviar suas representantes, mas, confirmaram apoio neste plano de ação coletiva.

Na próxima semana enviaremos outra edição deste boletim, com informações das atividades já realizadas em janeiro e as planejadas para os próximos meses!

 

Há 20 anos atrás

Em maio de 1992, por ocasião da Rio 92, a revista Ultimato publicou uma edição temática e trouxe mais de dez artigos sobre a situação do planeta, estilo de vida, ecologia bíblica. Acesse o material completo da edição de maio/92.

Neste ano, novamente na edição de maio, a revista Ultimato trará informações sobre a Rio+20, com posições e perspectivas – enfocando a articulação das organizações parceiras e como os evangélicos podem se engajar neste processo.

A revista também publicará entrevistas com foco em Mudanças Climáticas, Diversidade Socioambiental, Pobreza e Desigualdade e Igreja e Meio Ambiente.

 

Jejum de carbono

Dos dias 22 de fevereiro a 07 de abril (nos 40 dias que antecedem a Páscoa) a Tearfund Internacional promove o Jejum de Carbono. A campanha consiste em oração e ações diárias que contribuem para a redução da emissão de carbono.Acesse os recursos disponíveis para o Jejum de Carbono (em inglês).

 

Texto de Giovanna Amaral publicado originalmente no blog da Rede FALE

  1. 1. O grande desafio da Rio+20, a conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável, é conseguir um acordo que viabilize a implementação de decisões ambientais tomadas ao longo de mais de 20 anos e que jamais saíram do papel. A avaliação é do secretário-geral da conferência, Sha Zukang. CHANCES DE 1 A 10: 2

    2. Em entrevista nesta terça-feira, no Palácio Itamaraty, “O mais difícil é a implementação. O que aconteceu com todos esses documentos que produzimos até aqui? Eles são maravilhosos. Mas a implementação está muito longe de acontecer”, admitiu. CHANCES DE 1 A 10: 1

    3. Rio+20 terá dois pontos essenciais. O primeiro, “economia verde”, um plano recomendado pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente que prevê a aplicação de 2% do PIB mundial em programas que conduzam à sustentabilidade em sete setores chave: agricultura, construção, energia, pesca, florestas, indústria, turismo, transporte, água e gerenciamento de lixo. CHANCES DE 0 A 10: 0 REDONDINHO

    4. O outro ponto chave da conferência vai ser a reforma das instituições da ONU voltadas ao Meio Ambiente. CHANCES DE 0 A 10: 0

Leave a Reply to Eduardo Cancel Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.