Fiquei muito feliz por terminar o devocionário baseado em Atos no tempo agendado. Para redigi-lo bebi na mesma fonte dos anteriores (Refeições Diárias com o Sabor dos SalmosRefeições Diárias com os Profetas Menores eRefeições Diárias com Jesus). Continuo me alimentando das Escrituras Sagradas e dela tirando força, inspiração, perseverança e esperança.

Quando a igreja, no correr da história, tem desejado recuperar o primeiro amor e consertar alguma coisa duvidosa, ela sempre recorre ao livro de Atos e à liderança do Espírito Santo. O propósito de Refeições Diárias – No partir do pão e na oração é tornar mais conhecida, mais propalada e mais apaixonante o marco inicial da igreja visível e seu desdobramento.
Abaixo o leitor tem uma amostra do que vai encontrar no livro e pode verificar por si mesmo a relevância do livro de Atos para hoje.

Elben César

Sem o poder sobrenatural do Espírito Santo, haveria mais palavras do que ação, mais correria do que resultados, mais estardalhaço do que fatos consumados. A grande comissão poderia ser mais uma profissão e não um ministério.

Antes do dia de Pentecostes, os três mil convertidos não se conheciam, não se amavam e não se encontravam. Agora, eles “se reuniam constantemente e repartiam tudo uns com os outros” O traço de união era a mesma fé religiosa, o mesmo Pai, o mesmo Salvador e Senhor, o mesmo Espírito, o mesmo batismo de água. Eles se sentiram amados por Deus e começaram a amar a Deus e aos irmãos.

Os apóstolos tinham credenciais para chegar ao ponto de escrever ou falar “nós e o Espírito Santo”. Eles eram dirigidos pelo Espírito (8.29), cheios do Espírito (4.31), recebiam poder especial do Espírito (1.8). Na igreja primitiva, o Espírito estava bem próximo dos fiéis e os fiéis estavam bem próximos do Espírito.

O nome composto Senhor Jesus aparece mais no livro de Atos do que em qualquer outra parte da Bíblia. O último versículo de Atos, por exemplo, registra que Paulo “ensinava a respeito do Senhor Jesus Cristo, falando com toda coragem e liberdade” (28.31).

Onde o evangelho verdadeiramente entra, jorra alegria. Depois da descoberta do servo sofredor e do batismo, o etíope “continuou a sua viagem, cheio de alegria” (8.39). O mesmo acontece com o carcereiro de Filipos: depois de sua conversão e batismo, ele “e todas as pessoas de sua casa ficaram cheios de alegria” (16.34).

No primeiro tratado (o Evangelho) Lucas valoriza a mulher que adorava o Senhor de dia e de noite. No segundo (o livro de Atos), Lucas valoriza a mulher [Dorcas] que fazia o bem de dia e de noite. A igreja precisa de uma e de outra!

Em qualquer época e em qualquer lugar, haverá crentes mais bitolados e crentes mais arrojados. Ambos estão sujeitos ao processo consciente ou inconsciente de envaidecimento. Os primeiros terão orgulho de sua prudência e os demais terão orgulho de sua ousadia.

Os laços de amor fraternal eram muito fortes e espontâneos na igreja primitiva. Em suas Epístolas, Paulo chama muita gente de “amada”. Três vezes Tiago chama os seus leitores de “meus queridos irmãos”. João toda hora chama suas ovelhas de queridos ou amados. Refere-se à igreja como “a querida senhora e os seus filhos, a quem amo de verdade”.

Justiça seja feita: Barnabé era um sujeito formidável! Chamava-se José, mas os apóstolos deram-lhe, com muito acerto, o sobrenome de Barnabé, que significa “encorajador” Esse era o dom característico de Barnabé. Foi isso que ele fez a vida inteira.

Uma coisa que Paulo sabia fazer era aproveitar as oportunidades. Ele ficava de olho e de ouvido em pé para vigiar e enxergar as oportunidades. Chegava a pedir que os crentes orassem a Deus para o Senhor lhe dar “boa oportunidade para anunciar a mensagem”

De fato, para os atenienses, o monoteísmo é um absurdo, um Deus que se envolve com o ser humano é uma absurdo, a Trindade é um absurdo, um Deus em forma humana é um absurdo, o homem pecador é um absurdo, o perdão por meio do sacrifício expiatório é um absurdo, o juízo final é um absurdo. Tudo isso é loucura para eles, é ininteligível porque são coisas que só podem ser entendidas com o auxílio do Espírito.

A grande tentação que envolve o povo de Deus é a rotina, em diferentes níveis. O nível alto é quando se faz tudo mecanicamente, sem vida, sem entusiasmo, sem calor. Daí a necessidade de fervor devocional, por meio do qual a fé, o amor, a alegria e o entusiasmo se renovam dia-a-dia!

__________

Elben M. Lenz César é o diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato.

 

  1. Rev Elben
    Glória a Deus por sua vida, que tem sido usada como instrumento divino para edificação de tanta gente.
    Incluo-me entre aqueles que aprenderam a admirar o dom que Deus lhe concedeu de comunicar magistralmente lições práticas para a vida diária, lastreada em verdades eternas das Sagradas Escrituras.
    Enquanto desfruto do devocionário “Refeições Diárias com Jesus”, aguardo a oportunidade de continuar me alimentando espiritualmente através das páginas do “No Partir do Pão e da Oração”.

  2. Muito boa reflexão.
    Temos mesmo que olhar para a Bíblia… Ela é o nosso porto seguro num mundo tão plural; tão politeísta ( falo da igreja e seus deuses). Quando o assunto é o estilo de vida da igreja, não há outro caminho… é Atos mesmo.
    Ali tem tudo: estilo de vida, progresso, desenvolvimento, o surgimento da instituição, o propósito, a mensagem; é mesmo completo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *