“Hora de conversar”

(Robert Frost)

 

Quando um amigo me chama lá da estrada

E puxa o arreio do cavalo para uma marcha lenta,

Não fico parado olhando ao redor

Para as colinas que ainda não capinei

Gritando aqui de onde estou: O que é que há?

Não, não enquanto há tempo para conversar.

Lanço minha enxada no chão macio,

Capim pra mais de metro de altura

E um eito: Quer saber? Eu vou ao muro de pedra,

Para visitar um amigo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>