Por Mateus Andrade

Mateus e Rebeca

O café da manhã é a principal refeição do dia. Podem vir médicos e nutricionistas provarem o contrário que eu não mudo de opinião. Não mexam com o meu café da manhã! Não mexam também com a minha rotina. Que venham terapeutas, psicanalistas e rebeldes por vocação dizer que a rotina desapropria sua liberdade e torna a vida monótona. Eu não caio nesse conto-da-carochinha!

Acordo às 5h da manhã. Coloco a água para esquentar. Preparo algumas frutas e coloco o pão na torradeira. Enquanto o café é coado, como as frutas e, logo depois, o pão já está no ponto e o café fresquinho. Deliciava-me com tudo isso.

Depois que a Rebeca nasceu, não se segue à risca este roteiro. Entre partir a manga e picar a banana, há uma troca de fralda. Às vezes, o café é esquecido na xícara, pois eu estava no quarto fazendo a Rebeca dormir. O pão queimou na torradeira? Várias vezes!

Não há mais hora para acordar. Num exercício de psicologia positiva, forço-me a me sentir como se estivesse em férias, pois, não programo mais o horário do meu despertador. Foi melhor assim, afinal, a Rebeca sempre acordava antes dele e, de longe, ao o ouvir eu pensava: “devia estar acordando agora”.

Confesso, por diversas vezes foi frustrante. Não perdi só o café da manhã, mas, a minha rotina. Minha deliciosa rotina, melhor amiga do meu café da manhã.

Felizmente, aos poucos, deixei o aborrecimento e a frustração de lado. E melhor ainda, não foi por conformismo. Sendo pai, aprendi a compreender mais do que é ter uma vida de fé, confiança e consagração. Quando eu não tinha a Rebeca para cuidar, vivia um mundo de fantasia em que eu era o senhor dos meus horários e programador da minha rotina, quando o verdadeiro senhor do tempo é Deus.

Através da paternidade, ao não compreender tanto amor que tenho pela minha filha, eu compreendo mais sobre o Amor de Deus e descanso ao reconhecer o cuidado diário que ele tem conosco nos mínimos detalhes.

Pela graça de Deus, tenho hoje a benção de ser pai da Rebeca e a missão de criar e educar uma filha dEle, e acima de tudo, me sinto cada vez mais na completa dependência dEle.

É verdade que não tenho mais o mesmo café da manhã, nem a mesma rotina que eu tanto gostava. Agora, em essência ainda sou o mesmo, graças a Deus, e descobri que sendo pai, sou outro.

  • Mateus Andrade é historiador, professor, marido da Lorena e pai da Rebeca.
  1. Ana Maria O. Dos Santos

    Que linda descoberta de vc mesmo!
    Os filhos nos mudam de tal forma que quando nos damos conta percebemos que ele nos salvam de nós mesmos e de nossas ” verdades” , nos mostram um mundo com o qual nunca sonhamos.
    Parabéns pelo seu dia. Parabéns por todos os seus dias!
    Rebeca tirou a sorte grande😍❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>