Os dez municípios com maior número de pessoas resgatadas em situação de escravidão estão na região Amazônica, sendo oito deles no Pará

Claus Bunks/Afrobrasil/Flickr/Domínio público/Wikimedia Commons

Paulo Sérgio Martins, 43 anos, casado, pai de 5 filhos. Ele é um trabalhador resgatado de fazenda em Mato Grosso, em situação de escravidão. Paulo Martins não é personagem dos livros de história do Brasil, que relatam a exploração dos negros nos períodos de colônia e império. Ele é parte de um grupo resgatado no século 21. Mais um caso de exploração contemporânea num dos últimos países a abolir a escravidão.

Assim como Paulo, hoje, grande parte dos trabalhadores em situação semelhante à escravidão no Brasil é resgatada na área rural: em 2016, dos 667 trabalhadores identificados, 463 trabalhavam em agricultura ou pecuária. Na região Amazônica os principais casos deste tipo de exploração também são rurais.

Mas nos últimos anos, a escravidão em atividades tipicamente urbanas tem se tornado uma tendência.  Apesar das diferenças de localidade, as características utilizadas para identificar a escravidão tanto no meio rural, quanto nas cidades são as mesmas, segundo o procurador do Ministério Público do Trabalho, Thiago Muniz Cavalcante, Coordenador Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo.

A Amazônia lidera a estatística de escravidão no país dois últimos anos. De 1995 a 2015, segundo dados divulgados pela Organização Internacional do Trabalho, os dez municípios com maior número de casos de trabalho escravo do Brasil estão na região, sendo oito deles no Pará. Nas fiscalizações de 2016, Pará, Maranhão, Mato Grosso e Tocantins ficaram entre os dez estados com mais trabalhadores resgatados.

Fonte: Rádio Nacional da Amazônia.

  1. Jean Oliveira

    Incrível como em pleno século XXI nosso Brasil ainda sofra com tamanha barbárie. Precisamos orar e agir contra a escravidão. Interceder por estes que a estão combatendo na linha de frente.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.