IMG-20160201-WA0017O missionário Eric Dionísio, representante do Paralelo 10, em Maceió, Alagoas, conta pra gente um pouco do que rolou na Escola de Férias 2016 — um projeto promovido pela organização Jovens com uma Missão (JOCUM), do qual o Eric também faz parte.

A Escola de Férias foi realizada no mês de janeiro e teve a participação de 48 pessoas – 36 alunos de vários estados do Brasil e 12 líderes. As atividades de evangelismo aconteceram em quatro cidades alagoanas, de forma simultânea: Estrela de Alagoas, Canapi, Inhapi, Mata Grande, São José tapera e Senador Rui Palmeira.

Eric contou que apesar de algumas barreiras as pessoas escancaram as portas de suas casas e seus corações para o Evangelho. Confira a breve entrevista que o Eric concedeu ao Paralelo 10 sobre a Escola de Férias.

O que é a Escola de Férias?

Eric – É uma escola missionária de curto prazo onde desafiamos pessoas de todas as idades para dedicar suas férias para Jesus, anunciando a Salvação para comunidades necessitadas. São 15 dias no período das férias de Janeiro, dormindo e acordando com uma galera que ama a Deus. Durante a primeira semana, o aluno tem aulas sobre meditação na Palavra, intercessão, missões, relacionamento com Deus, entre outras. Isso sem contar as oficinas de teatro e dança que vão equipar o aluno no básico para o evangelismo de rua. Na segunda semana, terá uma experiência marcante durante uma viagem missionária em cidades alagoanas.

IMG-20160201-WA0019Quais atividades foram realizadas durante o projeto?

Eric – Fizemos evangelismo de casa em casa, em escolas e em diversas instituições, como na Associação Comunitária, Centros Sociais e outros. Também realizamos palestras de combate as drogas, combate a prostituição infantil e valorização da família. Além de apresentações com teatro, dança, e evangelismo junto às crianças com histórias, músicas e recreação.

Quais necessidades vocês observaram nas comunidades pelas quais passaram?

Éric – Nos deparamos com muita pobreza, pessoas analfabetas – a maioria dos adultos acima dos 40 anos, por exemplo, não sabe ler e escrever, carência de obreiros para dar assistência às famílias e acesso precário a água potável. Em todas as comunidades por onde passamos há certa resistência ao povo que eles chamam de ‘crente’, devido suas tradições religiosas. Contudo, as pessoas ficaram impactadas pelo respeito que demonstramos a eles e pela forma que apresentamos o Evangelho, a tal ponto que escutamos várias reclamações de membros das comunidades, por termos passado tão pouco tempo com eles. Apesar de algumas barreiras, as comunidades escancararam as portas de suas casas e corações para nos receber!

Que frutos do projeto vocês podem mencionar?

Eric – Várias pessoas assumiram um compromisso pessoal com Jesus. Além disso, os líderes das denominações locais que tivemos oportunidade de apoiar falaram o quanto as atividades desenvolvidas impactaram eles mesmo e os membros das igrejas, os desafiando a um novo posicionamento a respeito da responsabilidade evangelizadora da igreja.

  1. Que coisa linda! Conheço a base de JOCUM em maceió e sei do compromisso com a Escola de Férias em Janeiro 🙂
    Deus abençoa, grata por esse relato

  2. Joamingos da Silva Leal

    Olá! Bom dia.
    É verdade, todo material da Ultimato é de excelente qualidade. Tudo o que viermos fazer, façamos para honra e glória do Senhor Jesus. A paz do Senhor Jesus.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.