Alef_2015 (5)

Por Wilson Costa

O Congresso da Missão ALEF, realizado em Natal, RN, nos dias 21 a 24 de outubro de 2015, conseguiu reunir muito bem boa reflexão bíblico-teológica com aspectos práticos da missão cristã. Espiritualidade e liderança cristãs sob a ótica do Reino de Deus foram os temas tratados com maestria por irmãos como Valdir Steuernagel, Carlos Queiroz, Antonio Carlos Barro, Jorge Henrique Barro, José Marcos da Silva, Wilson Costa, Ana Ho, entre outros.

De diferentes idades, homens e mulheres, de diferentes igrejas evangélicas e de muitas cidades diferentes do Norte e Nordeste, participaram das plenárias, dos mini-cursos (chamados de trilhas), dos painéis e dos seminários, buscando ensinos práticos para o serviço ministerial que desenvolvem em suas igrejas e através de suas igrejas, em comunidades onde as igrejas se encontram servindo as pessoas.

A missão integral não é discutida quanto à propriedade do rótulo em si, mas muitas igrejas estão levando a sério a missão que leva em conta o interesse de Deus por todas as áreas da vida humana. Fica óbvio que o uso do termo integral é para enfatizar alguns aspectos da missão cristã, que têm sido esquecidos. Muitos pastores e líderes entendem que a fé cristã autêntica se evidencia por boas obras. Compaixão e serviço às pessoas está na pauta do dia das igrejas que entendem que evangelização vai além da proclamação, incluindo serviço amoroso proveniente do seguimento de Jesus de Nazaré.

Os evangelistas narram que Jesus inaugurou seu ministério falando acerca do Reino de Deus. E a respeito desse governo de Deus sobre nossas vidas e sobre a vida de nossas igrejas, os participantes do Congresso da ALEF foram lembrados, desafiados, encorajados. Os temas da espiritualidade e da liderança cristãs foram compreendidos sob essa ótica. “A espiritualidade marcada pelo Cristo nos move em obediência a toda vontade de Deus”, acentuou o pastor Carlos Queiroz. E lembrou que a espiritualidade cristã se move sob a “lógica da graça, de que Deus age em favor dos pecadores sem que receba nada em troca”.

Quanto ao serviço da liderança no meio do povo de Deus, os congressistas foram lembrados de que “Jesus é o nosso modelo de liderança cristã, cuja marca é o serviço do outro e não a busca de títulos e cargos.” (Carlos Queiroz) O pastor Valdir Steuernagel acentuou o lugar do ministério da vocação que, ao passar pelo serviço da liderança, deve no modelo de Jesus “fugir da canseira dos cálculos e da lógica habitual que não contempla os milagres” da fé e do agir de Deus. E que liderança espelhada no agir de Jesus “tem mais a ver com a vida e o compromisso do que com os negócios e as ocupações”.

Ao propor um programa de desenvolvimento da espiritualidade cristã nas igrejas e também para o desenvolvimento de pessoas que servem em liderança, Jorge Barro propôs que usemos o modelo apresentado na segunda carta de Pedro, 1.5-9ª. Este modelo, segundo o próprio apóstolo, “impede que sejamos inoperantes e improdutivos”. O Pr. José Marcos da Silva, da Igreja Batista em Coqueiral lembrou as características de uma igreja que se modela em Jesus e realiza a missão de Deus. Ela é uma igreja “humanamente santa, humildemente serva e radicalmente simples”.

Os mini-cursos e seminários foram extremamente práticos, oferecendo ensinos para o desenvolvimento de ações e de programas ligados à missão da igreja. Também os painéis que aconteceram todas as tardes criaram oportunidade dos preletores trocarem ideias entre si e também responder muitas perguntas dos participantes do Congresso.

O Congresso da ALEF constitui bom exemplo de como igrejas caminhando em unidade podem realizar muito mais juntas do que separadas. Levar a Natal uma reunião de pessoas de todo o Brasil para ministrar a irmãos e irmãs de Natal e dezenas de outras cidades do Norte e Nordeste, só é possível graças ao esforço coletivo. Além disso, mostra-se mais uma vez a importância de organizações ministeriais que apoiam a caminhada das igrejas e da sua liderança, como Aliança Evangélica, Visão Mundial, Tearfund, Missão Aliança, Instituto Solidare, Sociedade Bíblica do Brasil e a própria Editora Ultimato.

Uma prática curiosa da Missão ALEF para este Congresso é que, no domingo pela manhã e à noite, os preletores que podem permanecer na cidade são distribuídos pelas igrejas apoiadoras do evento. Assim, as igrejas tem oportunidade de ouvir um pouco do tema do Congresso em suas próprias congregações, alcançando muitas pessoas que não puderam participar do Congresso.

E o próximo Congresso já tem data marcada. Será de 19 a 22 de outubro. E alguns preletores já confirmaram presença, como René Padilla, Ricardo Agreste, Carlos Queiroz.

Faça o download do Caderno de Reflexões do Congresso Alef 2015. Clique aqui.

• Wilson Costa. Diretor Executivo da Aliança Evangélica. Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul (Campinas, SP, 1981) e pela Faculdade Teológica Sul Americana (Londrina, 2008). Pastor presbiteriano (IPB), na Igreja Presbiteriana Peniel, em Campinas, SP.

  1. Jean Oliveira

    Tive o privilégio, com a ajuda do Paralelo 10, de ir segundo ano consecutivo ao congresso. Levei comigo um dos integrantes de meu grupo de estudos na Cidade de Nova Cruz, a esposa de meu pastor e mais duas pessoas de uma de nossas congregações. Dias marcantes e desafiadores. Agradeço ao Paralelo por todo esforço em nos ajudar financeiramente para participar do evento.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.