Depois de vários meses de planejamento, de horas em ligações telefônicas e de muitos bytes nos e-mails trocados finalmente o Senhor Deus levou a bom termo o Congresso da Missão Evangélica aos Índios do Brasil (MEIB) em Brasília (DF). Não seria nenhum jargão afirmar que sem Ele no comando dos nossos planos as coisas não teriam dado tão certo.

Esse evento teve muitos diferenciais. A viagem, o ônibus, o local onde aconteceu, o clima frio e o cansaço resultante de muito trabalho. Como secretário executivo da missão, o pr. Messias Dias queria que fizéssemos este encontro em um local diferente do, já muito frequentado, eixo Pará-Maranhão (estados onde a missão atua). Dessa vez pensamos um pouco mais alto e resolvemos partir para o centro do país: Brasília seria nosso destino.

 

A viagem

A viagem foi longa (mais de 2 mil quilômetros), mas muito interessante. Partimos de Belém (PA) no dia 25 de junho em um ônibus doble deck, com 53 lugares para nosso trajeto. Como temos missionários espalhados entre o sul do Pará e o Maranhão, então combinamos: o motorista vai parando em algumas cidades principais para embarcar os irmãos que vieram de suas localidades. Parte do grupo começou a viagem em Belém (os jovens do Ministério TIM, a orquestra e alguns missionários que já estavam na cidade). Após dez horas de viagem, paramos em Porto Franco para o embarque da turma do Maranhão. Eles vinham dos municípios de Barra do Corda e Arame para nos encontrar ali.

Depois de algum tempo na estrada finalmente paramos na cidade de Guaraí (TO) para receber a turma do sul do Pará que já nos aguardava no ponto de encontro. Além de servir como meio de transporte até Brasília, nosso ônibus foi um ótimo espaço para estreitar os laços entre os missionários. Normalmente apenas nos congressos, eles têm tempo juntos para conversar. Assim, uma viagem, mesmo que longa até nosso destino, proporcionou uma boa convivência.

 

O congresso

Os dias de 28 a 30 de junho no Congresso da MEIB foram muito especiais. Ficamos hospedados na chácara da AMIDE (Associação Missionária para Difusão do Evangelho) e tivemos a oportunidade de ouvir muitas pessoas diferentes. Todas as manhãs as devocionais eram ministradas pelo missionário suíço Werner Heidger que trabalhou como secretário executivo por muitos anos na MEIB, e hoje mora em sua terra natal. É muito querido por todos os missionários. Depois das devocionais (ainda pela manhã) tivemos algumas palestras ao longo dos três dias de evento. No primeiro dia, eu falei sobre o novo site da MEIB e sobre como cada missionário pode ter seu blog pessoal neste site para auxiliar na divulgação do seu ministério. No segundo dia, Enoque Faria falou sobre a espiritualidade e a vida missionária; em seguida todos os missionários se dividiram e tiveram um tempo de compartilhamento: os homens com Enoque e as mulheres com a Eliana.

No último dia, ouvimos o Lissânder Dias falar sobre Missão Integral. Essa palestra foi muito especial por ter auxiliado os missionários: alguns para confirmar o que já faziam em seu ministério, outros para abrir os olhos para essa nova realidade. Todas as noites eram reservadas para um breve estudo bíblico ministrado por alguns missionários. Deixamos a maior parte do tempo para os testemunhos. Tivemos o prazer de ouvir as lutas, os desafios e as alegrias de cada missionário que compartilhou conosco seus sentimentos sobre o ministério.

Separamos o dia 1º de julho para conhecer a capital do nosso país. Saímos pela manhã e fomos visitar o Congresso Nacional, caminhamos pela Esplanada dos Ministérios e fizemos tour pelas principais câmaras e também pela Catedral. Almoçamos no Shopping do Conjunto Nacional e à tarde fomos visitar o Memorial dos Povos Indígenas e o Monumento de JK. Estando todos de volta à noite, tivemos um momento especial e descontraído, com brincadeiras envolvendo os missionários e seus filhos.

 

Visita a igrejas

No final de semana (dias 2 e 3 de julho) nos locomovemos da Chácara da AMIDE para várias igrejas nas cidades satélites de Brasília para realizar a Conferência Missionária. Nosso objetivo era mostrar a realidade de novos desafios missionários nos campos onde a MEIB atua. No sábado à tarde fomos para a Igreja Presbiteriana Lago Norte onde alguns dos missionários deram palestras para os presentes, todas abordando temas sobre igreja e missões. A programação do culto missionário à noite incluiu músicas com a orquestra de câmara e com o Ministério TIM, testemunhos de líderes cristãos indígenas e de missionários do campo kayapó, leitura bíblica em língua indígena e em português e a reflexão bíblica era ministrada por Enoque Faria que falou sobre o tema da Conferência: “Juntos na Seara do Mestre”. Fizemos esta mesma programação no domingo pela manhã na Igreja Cristã Evangélica de Ceilândia enfocando os campos Canela e Tembé e no domingo à noite na Igreja Cristã Evangélica do Gama falando sobre o campo Guajajara. No final do culto de domingo à noite tomamos nosso rumo de volta a Belém parando nas devidas cidades para o desembarque dos missionários do Pará e do Maranhão.

Não posso encerrar este texto sem mencionar o inestimável apoio que tivemos da Pollyana Cardoso que foi nosso contato em Brasília para organizar todos os detalhes para que o congresso e a conferência pudessem acontecer. Além da Pollyana, contamos com o suporte do Ministério TIM. Este é um grupo de jovens vocacionados com os quais trabalhamos para estreitar o relacionamento entre a MEIB e as igrejas de Belém. O Ministério TIM nos apoiou em todas as áreas essenciais durante a semana que tivemos em Brasília. Na AMIDE eles cuidaram dos filhos dos missionários e fizeram a limpeza do local. Nas igrejas eles realizaram um culto missionário para as crianças, organizavam os estandes, arrumavam e desarrumavam o cenário que levamos para as igrejas.

Estamos muito gratos a Deus pela bênção que foi realizar este evento em Brasília. Ele supriu todas as nossas necessidades e ainda nos possibilitou um tempo de comunhão em um local diferente para a maioria dos presentes.

___________

Héber Negrão tem 29 anos e casou recentemente com Sophia. Ambos são missionários e trabalham com a Missão Evangélica aos Índios do Brasil (MEIB) em Ananindeua (PA).

  1. Como integrante do Ministério TIM, agradeço a Deus a oportunidade de servi-lo nessa Missão. Vejo o quanto Ele tem abençoado e a cada dia nos revela o Seu tão grande amor pelos povos indígenas. Que o Senhor continue nos sustentando…

  2. Parabéns por essa iniciativa, creio que deve ter enriquecido a visão e união entre os missionários e ajudado a despertar as igrejas visitadas para o desafio dos campos onde a MEIB atua.
    Que Deus continue a abençoar esse ministério,

  3. Posso dizer que hoje faço parte desse Ministério tão abençoado, não pude participar pessoalmente dessa viagem, mas fiz parte em oração… Graças a Deus pela sua imensa misericórdia e amor, por ter me colocado nessa família que tanto amo… Obrigada Senhor pelas respostas maravilhosas de oração em tudo que conseguimos realizar até agora.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.