Por Ivan Cordeiro

“Cheguei a meio da vida já cansada

De tanto caminhar! Já me perdi!

Dum estranho país que nunca vi

Sou neste mundo imenso a exilada”. (Florbela Espanca)

O Brasil é um país que provoca sentimentos contraditórios. Existem motivos de honra em ser brasileiro, entretanto, os motivos de desonra prevalecem na balança. Há muitas pessoas que não se aquiescem diante do caótico Estado brasileiro. Sei que a maioria não possui a dimensão crítica para refutar os contrastes do nosso país, e caso a possua, não faz uso dela.

Nem cheguei a meio da vida e já me sinto cansado. Nem caminhei muito e já me sinto perdido. Do que eu sei é como se nada soubesse. Viver aqui é absolutamente estranho. Possuo sentimentos contrários. Atrai-me o país da diversidade, da natureza exuberante, do calor humano, do espírito alegre. Todavia, rejeito o país da impunidade, da propina, da desigualdade social, da educação sucateada. Canso-me por saber que nada vai mudar porque muitos são os que alimentam este sistema. A conivência por si só é um forte combustível para manutenção deste status quo.

Mas a mudança é possível. E deve começar pela educação. Pessoas educadas mudam qualquer estado deplorável da realidade. A questão é que há muita gente informada por aí, mas muito pouco educada. Gente que forma, se informa, mas não transforma. Diploma não educa ninguém. O Brasil precisa de pessoas civilizadas nas ruas, nas estradas, no comércio, no congresso, nos hospitais, nas igrejas, nas escolas. Nunca o número de faculdades foi tão alto neste país, contudo, a educação nunca foi tão infame. A educação que civiliza as pessoas está em falta no Brasil. Não adianta termos inúmeras instituições de nível superior formando milhares de pessoas todo ano, se o nível de civilização das pessoas formadas continua inferior ao necessário para manter uma sociedade ética, coesa e bem estruturada.

Caso o leitor se interesse, procure pelos dados de violência, de corrupção, saúde e educação. Segundo dados do IBGE, o Brasil possui um contingente de analfabetos da ordem de 14,1 milhões (somente de pessoas com 15 anos ou mais de idade), o que corresponde a uma taxa de 10% da população. Temos motivos de sobra para a inquietação. Não podemos acreditar nos programas assistencialistas. Não podemos acreditar nas propagandas enganosas. Não podemos acreditar no utópico Programa de Aceleração do Crescimento, sendo que a maioria das obras prometidas está paralisada.

Faço um apelo aos jovens: não nos acomodemos, pelo contrário, fiquemos incomodados. Não nos ocupemos apenas com os prazeres da vida, mas sejamos responsáveis também com a vida. Precisamos do equilíbrio entre prazer e responsabilidade. Associemo-nos a grupos que combatem os males deste país. Na nossa cidade, no nosso bairro, na nossa igreja, sempre em algum lugar existe uma forma de denunciar, uma maneira de ser e fazer diferente. Lembremo-nos: apenas os seres pensantes são provocados!

Ivan Cordeiro tem 26 anos, é administrador e teólogo, mora em Vitória da Conquista, BA. É responsável pelos sites: www.bomlider.com.brwww.ivancordeiro.blogspot.com

  1. Precisa-se que os nossos jovens cristãos sejam instruidos que podemos juntos promover atos,ideias, de politica publica para o bem da nossa sociedade do nosso bairro ou comunidade, temos a luz de cristo e a orientaçao da palavra de Deus para se expressarmos perante esse mundo com a força da igreja a juventude evangelica deve expressar a suas ideas sobre a educaçao a saude a forma de governo vamos nos levantar enquanto ainda nos resta tempo. shalon

  2. O cidadão brasileiro é provocado todos os dias e nós cristãos devemos reagir a essa provocação. A igreja de Cristo precisa despertar!

  3. Leandro Silva

    Parabens pelo texto, Ivan. Como jovem missionário, envolvido desde muito com a causa da justiça e da missão integral, faço eco ao seu artigo. Que a nossa geração sinta-se provocada pelo desafio de transformar esta nação!!!

  4. FRANCISCO JOSÉ DEFANTE

    Gosto de ler os artigos sobre liderança do Ivan, no espaço “Palavra do Leitor”. Este, acima, é ótimo. Sugiro o site CRISCOR (Cristãos Contra a Corrupção), achado através do Google. Um abraço a todos, no amor de Jesus.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>