Por Lissânder Dias

 

Meu pai foi uma das pessoas mais simples que eu já conheci. Uma simplicidade que nasceu, não na ausência, mas na escolha. Era porque queria assim ser. Seguiu um caminho pouco convencional: abriu mão de sucesso, de reconhecimento público e de vitórias financeiras por conta de uma maneira de viver que dava a ele condições de ser quem queria ser.

 

Esse é o meu primeiro Dia dos Pais sem ele. Faleceu no início de março deste ano, vítima de um ataque cardíaco fulminante. Nos dias seguintes à sua morte, tive a dura tarefa de organizar os seus poucos objetos. Estava tudo em uma pequena sala de aula, na qual ele gastou os últimos anos de vida ensinando inglês para alunos pobres de diferentes idades. Enquanto eu abria sacolas e malas, ia encontrando objetos novos – como copos, pratos e canecas – que seriam utilizados quando a casa do sítio dele ficasse pronta. Era nesse lugar que antigamente ele reunia crianças da redondeza daquela área rural para estudarem a Bíblia e comerem juntos. Com o sonho de retomar tais encontros, ele havia comprado e guardado copos, pratos e canecas para servir às crianças.

 

Aprendi com meu pai que a completude da vida não depende da quantidade de suas posses, nem do volume de problemas os quais tenta resolver, e sim de qual jornada você decide trilhar.

 

Nessa jornada – imperfeita, mas real -, Deus nos chama para viver da forma mais límpida possível, com fé e propósito. A seguir, compartilho mais algumas lições sobre simplicidade aprendidas com a vida de pai:

 

A simplicidade conecta as pessoas

Conecta, porque descomplica as relações. Isso proporciona ambientes de leveza e transparência que fortalecem as amizades. Meu pai ria livremente, porque via a vida de forma simples.

 

A simplicidade valoriza a dignidade

A simplicidade tem menos a ver com posses, e mais a ver com suficiência. Ela traz dignidade – uma posição de grandeza, mas sem orgulho; de autoconfiança, mas sem egocentrismo. Meu pai sabia quem era, e se alegrava com a dignidade que Deus o deu.

 

A simplicidade traz discernimento 

A simplicidade nos ajuda a compreender o foco, o propósito e a forma como vamos viver. Só assim desenvolvemos um discernimento sobre as circunstâncias e nossos limites. Alguns podem nos achar insensíveis ou indispostos por conta disso, mas a verdade é que seremos mais presentes em tudo o que decidirmos nos envolver.

**

A simplicidade é uma grande benção de Deus e um sinal de maturidade. Em um mundo que prega uma felicidade consumista e complicada, Jesus nos chama para simplesmente caminhar ao seu lado, de forma leve e companheira, sem o peso de uma vida vazia e ilusória, mas cheios de esperança.

 

 

  • Lissânder Dias é jornalista e assessor editorial da UniCesumar. Colaborou nos 10 primeiros anos da Rede Mãos Dadas. Tem um blog pessoal chamado Fatos e Correlatos.

 

Acolha em Oração

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.