Veja relato de um adolescente sobre o protagonismo infanto-juvenil 

2013.03.26_Asas_de_Socorro_Sabina_PA_D700-261Protagonismo infanto-juvenil é o exercício de influência por parte da criança e do adolescente sobre o meio em que vivem. Protagonismo infanto-juvenil cristão é a criança e o adolescente trabalharem em prol do reino de Deus com seus recursos, seja dispondo de seu tempo, de seu dinheiro ou de seu amor. É ajudar um colega que tem dificuldades na escola. É dar um sorvete para um amigo que não pode comprar. É refletir sobre sua vida e seu mundo. É olhar pelos necessitados, pelos oprimidos, pelos fracos, pelos que não têm seus direitos atendidos — sejam crianças, adolescentes, adultos ou idosos. Protagonismo infanto-juvenil cristão acontece quando crianças e adolescentes cristãos realmente seguem a Cristo e dedicam a ele todos os seus dons e talentos, todos os seus recursos, sendo sal e luz neste mundo e fazendo a diferença em sua sociedade, seja na sua escola, na sua igreja, ou na sua família. Por que o protagonismo é importante? A criança e o adolescente têm capacidade de serem atuantes e também de serem cristãos. Negar isso é tratá-los como pura e simplesmente “pré-pessoas”. É dizer a eles que um dia poderão pensar em ser como Cristo, mas que por enquanto devem tratar de estudar pra um dia crescerem. Só então se tornarão pessoas. Negar essa capacidade deles é incentivá-los a serem apáticos e inúteis, a sempre buscarem o futuro e não viverem o presente. Isso pode levá-los a se revoltarem e a procurarem prazeres arriscados para se satisfazerem, ou pode fazê-los se conformarem e labutarem para um dia poderem buscar “livremente” seus prazeres. Isso cria pessoas acostumadas a serem sempre servidas e nunca servirem. Quantos pais não trancam seus filhos numa vida escola-casa, estudos-entretenimento? Pois isso é basicamente dizer “estude pra virar gente” e “gaste seu tempo livre com futilidades”. Existem realidades ainda mais tristes, mas que conheço pouco, em que os pais trancam seus filhos numa vida de trabalho, às vezes sem escola, às vezes sem entretenimento, em que a criança se vê forçada a ser adulta — coisa que na verdade ela não é. Aliás, forçar uma criança ou adolescente a ser adulto está longe de ser o protagonismo infanto-juvenil cristão. Como o próprio nome diz, a criança não é adulta. No entanto ela, é uma pessoa e pode e deve agir e fazer a diferença. Por fim, se negarmos que a criança e o adolescente têm capacidade de serem protagonistas cristãos, eles focarão em si mesmos, não em Cristo. E isso não é nada cristão. Agora, uma vez que respeitamos o princípio do protagonismo infanto-juvenil cristão e incentivamos as crianças e os adolescentes nesse exercício, grandes coisas podem acontecer. Se confiarmos certas tarefas às nossas crianças e aos nossos adolescentes, muitos deles nos surpreenderão cumprindo essas tarefas com um empenho que talvez nunca suspeitássemos que escondessem. Confiando serviços e responsabilidades às crianças e aos adolescentes, eles crescerão e aprenderão muito, e farão a diferença nesse mundo.

 

2

Davi Bastos, 17 anos, é estudante do ensino médio e mora em Viçosa, MG. É membro da Igreja Presbiteriana de Viçosa onde participa ativamente da UPA (União Presbiteriana de Adolescentes). Lidera encontros da ABS (Aliança Bíblica Secundarista) na sua escola, é especialista em J.R.R.Tolkien e ama descobrir novas formas de economizar dinheiro.

Conheça mais Davi Bastos em seu blog. (clique aqui)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.